08:14 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    126
    Nos siga no

    De acordo com a Lockheed Martin, o teste de compartilhamento envolveu cinco caças F-35 e um F-22, que foram conectados por um avião de reconhecimento U-2 Dragon Lady.

    Com isso, as aeronaves também puderam fornecer dados em tempo real aos operadores que estavam baseados em solo, segundo o portal Flight Global.

    O teste utilizou uma carga útil de gateway de sistemas abertos a bordo do U-2 para conectar um F-22 a cinco F-35, compartilhando com êxito dados entre as aeronaves.

    A Agência de Defesa de Mísseis e a Força Aérea dos EUA alcançaram o marco como parte do trabalho conjunto realizado no Projeto Hydra.

    "O Projeto Hydra marca a primeira vez que comunicações bidirecionais foram estabelecidas entre aeronaves de 5ª geração em voo, ao mesmo tempo em que compartilhavam dados operacionais e de sensores com operadores no solo para capacidade em tempo real [...] Esta conectividade de nível seguinte reduz o tempo entre coleta de dados e decisão de minutos para segundos, o que é crítico no combate aos adversários atuais e às ameaças avançadas", afirmou Jeff Babione, vice-presidente e gerente geral da Lockheed Martin Skunk Works.

    Os serviços militares norte-americanos estão tentando desenvolver maneiras de compartilhar informações entre eles e entre diferentes equipamentos militares, pois acreditam que possam pensar melhor, manobrar mais rápido e depois dominar seus adversários.

    Mais:

    Caça versátil: Military Watch revela superioridade do caça russo Su-35 sobre F-22 americano
    Piloto da Força Aérea norte-americana explica como 'fracasso' do caça F-35 pode ser útil aos EUA
    Caça F-35 testa com sucesso integração de míssil antinavio, diz mídia
    Tags:
    testes, teste, eua, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar