01:06 19 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    276
    Nos siga no

    Em outubro de 2020, a Coreia do Norte exibiu seu maior míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês). Na terça-feira (23), a Força Aérea dos EUA testou com sucesso seu ICBM Minuteman III. Segundo especialistas, este passo pode ser visto por Pyongyang como uma ameaça.

    Na terça-feira (23), a Força Aérea dos EUA comunicou ter conduzido lançamento de um míssil balístico intercontinental desarmado Minuteman III de uma de suas bases na Califórnia.

    Embora o teste não estivesse relacionado com a Coreia do Norte, vários analistas acreditam que o líder norte-coreano Kim Jong-un pode interpretá-lo por uma perspectiva negativa.

    "No passado, Kim [Jong-un] já se referia aos testes de ICBM como um sinal de intenção hostil dos EUA. Ele poderia dizer: 'Vocês testam mísseis balísticos intercontinentais, então por que nós não podemos?'", disse Ankit Panda, pesquisador principal da Associação Stanton, do Programa de Política Nuclear da Fundação Carnegie para a Paz Internacional, nos EUA.

    Segundo a Força Aérea norte-americana, o Minuteman III foi equipado com um veículo de reentrada de teste que voou cerca de 6.760 quilômetros em um exercício destinado a "verificar a precisão e a confiabilidade". Os veículos de reentrada são construídos para aguentar temperaturas elevadas, enquanto os mísseis passam pela atmosfera.

    "O teste demonstra que a dissuasão nuclear dos EUA é segura, firme, confiável e eficaz para dissuadir as ameaças do século XXI e tranquilizar os nossos aliados", afirmou Força Aérea em comunicado, relatado pelo portal NK News.

    Cheong Seong-chang, especialista em política norte-coreana e membro do Centro Internacional para Acadêmicos Woodrow Wilson (EUA), disse que a "Coreia do Norte provavelmente ficaria incomodada com estes testes ICBM".

    "Olhando estes testes de lançamento, eles [norte-coreanos] poderiam dizer que Washington é hipócrita e reclamar de dois pesos e duas medidas pela condenação de testes norte-coreanos", afirmou o especialista.

    Porém, Ankit Panda ressalta ser improvável que os EUA disparem automaticamente uma arma nuclear em caso de conflito armado com a Coreia do Norte.

    O Minuteman III é um componente central das forças nucleares estratégicas dos EUA. Fabricado pela primeira vez no final dos anos 60, espera-se que este míssil balístico intercontinental continue operacional até 2025.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Rússia planeja nova compra de mísseis hipersônicos
    Pentágono deveria abandonar sua 'retrógrada' estratégia de defesa, opina analista da Forbes
    'Têm armas para iniciar Armagedom': colunista insta EUA a desistirem de criar novo míssil nuclear
    Tags:
    tensão militar, Kim Jong-un, Coreia do Norte, Força Aérea dos EUA, minuteman III, míssil balístico intercontinental
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar