08:29 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3361
    Nos siga no

    A Rússia iniciou a produção em série de bombas guiadas por satélite de última geração (KAB), de 1.500 quilogramas. Estas bombas são consideradas inteligentes, de longo alcance e muito letais.

    Em breve estes projéteis serão implantados em todos os modernos aviões da Força Aeroespacial russa, incluindo o Su-57. Estas bombas permitem atingir alvos estacionários e móveis com alta precisão.

    Experiência na Síria

    As KAB são das munições aéreas mais eficientes e podem liberar um maior poder de fogo contra o inimigo. Por poderem planar, isso permite que estas bombas sejam usadas pelos aviões portadores sem estes entrarem na zona de defesa antiaérea do inimigo.

    "Fizemos grandes progressos no ano passado na produção de bombas aéreas guiadas de precisão da série KAB, tanto em qualidade como quantidade. Os testes da nova geração de projéteis planadores de 250, 500 e 1.500 quilos foram concluídos [...]", afirmou o diretor executivo da empresa russa Corporação de Mísseis Táticos (KTRV, na sigla em russo), Boris Obnosov, ao jornal russo VPK.

    Supõe-se que sejam versões mais desenvolvidas das bombas KAB-250, KAB-500 e KAB-1500, que são utilizadas há tempos.

    O batismo de fogo destas munições ocorreu na Síria, onde apenas no primeiro mês de operações da Força Aeroespacial Russa em 2015 caças-bombardeiros Su-34 aniquilaram com estas bombas mais de 200 combatentes, dois postos de comando do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países), bem como o prédio onde se reunião os principais terroristas.

    Família de alta precisão

    Há várias versões das bombas aéreas deste tipo. A KAB-500L, aceita em serviço em 1975, é equipada com sistemas de mira de laser e cabeça de guerra explosiva, de penetração e de fragmentação. A KAB-500L pode ser lançada a altitudes de 500 a 5.000 metros e a velocidades de 550 a 1.100 quilômetros por hora. O alcance máximo é de nove quilômetros e o mínimo de três quilômetros.

    A KAB-500Kr, uma bomba autoguiada com cabeça de mira óptica, é basicamente uma bomba penetradora. Além disso, ela é capaz de memorizar a localização do alvo e ajustar seu voo até o momento do impacto.

    A bomba mais moderna é a KAB-500S, que recebeu um novo sistema de guiamento por satélite e cabeça de guerra explosiva, permitindo a destruição de alvos através de suas coordenadas de dia ou de noite e em qualquer condição meteorológica.

    As bombas guiadas de alta precisão KAB-500S são capazes de planar por até 15 km com um desvio do alvo até sete metros, usam o sistema de navegação Glonass, a alternativa russa ao GPS, para destruir alvos, sendo sua orientação corrigida através do sistema de busca de objetivos.

    As bombas aéreas com correção de trajetória KAB-1500 e KAB-250 possuem sistemas semelhantes. Estas bombas se diferem da KAB-500 principalmente pela quantidade de explosivo. Ambas as bombas são capazes de perfurar estruturas fortificadas bem protegidas.

    Bombas para drones

    Durante a entrevista, Boris Obnosov citou algumas outras bombas inteligentes que ainda seguem passando por testes. Em particular, a KAB-250-LG-E, para caças de quinta geração Su-57 e outros aparelhos modernos, projetada para eliminar equipamentos militares vulneráveis, depósitos de armas, ferrovias e outros alvos.

    Em 2019, Boris Obnosov informou sobre o desenvolvimento de pequenas bombas inteligentes de massa explosiva de 100 e 50 quilogramas. A eficácia destas bombas foi demonstrada pelo Exército do Azerbaijão durante os combates em Nagorno-Karabakh.

    Em 2022, a Força Aeroespacial da Rússia deve contar com a bomba aérea planadora PBK-500U Drel (Furadeira), que consegue chegar ao alvo por si própria, abrindo no momento preciso e espalhando submunições. Ela é equipada com componentes de guiamento, capazes de direcionar o projétil durante o final de seu voo, conseguindo atingir dessa maneira o alvo com um golpe mais certeiro. Por isso, sua principal capacidade reside na capacidade de planar.

    Precisão elevada

    Especificamente para os caças-bombardeiros Su-24, foi criado o sistema russo chamado Gefest, que conta com uma mira ótica similar à usada por atiradores de elite, permitindo aos caças-bombardeiros alcançar qualquer tipo de alvo com alta precisão tanto na água como em terra.

    O Gefest com sua mira telescópica não apenas eleva a precisão de ataque das bombas não guiadas a pequenos alvos localizados na água ou em terra, como também monitora continuamente as coordenadas do alvo e da própria aeronave.

    O sistema também é capaz de calcular os parâmetros dos lançamentos de bombas depois de sua queda e fazer automaticamente ajustes relativos ao vento, à temperatura e às manobras do avião. Além disso, a ordem de usar a munição é calculada pelo dispositivo e dada no momento preciso.

    Este sistema também foi adaptado para os aviões de assalto Su-25 e bombardeiros Tu-22M3.

    Mais:

    Rússia aumenta força de ataque hipersônica aperfeiçoando caças-interceptadores MiG-31, aponta Forbes
    Caça russo Su-57 tem capacidade furtiva aumentada com novas modernizações, diz revista (FOTOS)
    Militares russos recebem 1° caça Su-57 de série, diz fonte
    Tags:
    Rússia, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque, bombardeiros, bombardeios, bombas, bomba
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar