02:57 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    146
    Nos siga no

    Na terça-feira (15), pela primeira vez na história, um avião da Força Aérea dos EUA contou com a inteligência artificial como membro da tripulação.

    Segundo o site da Força Aérea norte-americana, o algoritmo ARTUµ acompanhou o piloto durante o voo de um avião Lockheed U-2, do 9º Esquadrão de Reconhecimento da Base da Força Aérea de Beale, Califórnia.

    Desenvolvido no Laboratório Federal do Comando de Combate Aéreo, o algoritmo foi projetado especialmente para ser transferível facilmente para outros sistemas.

    Aeronave U-2 dos EUA decloando da base de Osan na Coreia do Sul (foto de arquivo)
    © AP Photo / Lee Jin-man
    Aeronave U-2 dos EUA decloando da base de Osan na Coreia do Sul (foto de arquivo)

    Durante a missão, a responsabilidade principal do algoritmo foi a de copiloto, ou seja, detectar pontos de lançamento inimigos com o emprego de sensores e realizar o controle da navegação tática. Por sua vez, o piloto estava atento aos aviões inimigos e coordenou a operação dos sensores com seu "auxiliar".

    "O inovador voo com ARTUµ culmina nosso caminho de três anos para convertê-lo em uma força digital [...]. Confiar pela primeira vez o comando de um sistema militar dos EUA à inteligência artificial marca o começo de uma nova era de competência algorítmica e formação da tripulação entre humanos e máquinas", afirmou William Roper, subsecretário da Força Aérea.

    Mais:

    EUA pretendem dotar aviões de combate da Força Aérea com sistema a laser para derrubar mísseis
    Força Aérea dos EUA constrói e faz decolar misterioso protótipo de caça de 6ª geração
    General da Força Aérea revela preocupação dos EUA com capacidades nucleares de Rússia e China
    Tags:
    Força Aérea, EUA, inteligência artificial, avião militar, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar