17:08 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    12410
    Nos siga no

    A revista norte-americana Military Watch ressaltou a capacidade furtiva do caça russo Su-57, destacando que as recentes modernizações e melhorias no projeto têm reduzido consideravelmente sua detecção por radar.

    De acordo com a mídia norte-americana, fotos divulgadas nas redes sociais mostram que o caça russo recebeu uma nova grelha de entrada de ar, consistindo de uma grade coaxial radial feita de materiais absorventes, que reduz a transmissão frontal do radar pelas pás do compressor do motor.

    Além disso, o Su-57 teve uma redução da seção transversal do radar, com controle de ângulos de superfície, reduzindo desta forma o número de direções em que as ondas de radar poderiam ser refletidas.

    ​Sukhoi Su-57 durante montagem na fábrica de Komsomolsk-on-Amur.

    Com seu sensor infravermelho utilizado para operar sem qualquer assinatura radar de curto e médio alcance, o caça obtém uma vantagem em sua capacidade de sobrevivência.

    Outro ponto destacado pela revista é a estrutura da aeronave, que vai se beneficiar de novas vantagens em materiais absorventes de radar, reduzindo em até 30% o retorno das ondas de radar, além de proteger os pilotos contra os raios ultravioletas ou radiação térmica.

    O Su-57 de quinta geração possui eletrônica avançada, permitindo ao caça a destruição de alvos a uma distância de centenas de quilômetros e alta precisão nos ataques.

    Além disso, a aeronave tem equipamentos bem protegidos, como radares para rastrear e detectar alvos, e as últimas novidades em bombas e mísseis inteligentes.

    Mais:

    VÍDEO mostra caça russo Su-30SM rastreando e interceptando aeronave 'inimiga'
    Caça F-35 dos EUA é apontado como 'único que poderia romper' defesa antiaérea da Rússia
    Segundo caça de série Su-57 russo realiza 1º voo com sucesso
    Tags:
    Rússia, avião militar, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar