15:46 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7510
    Nos siga no

    O míssil hipersônico Tsirkon supostamente passará por mais três testes até o final do ano.

    O Tsirkon é considerado uma das armas mais promissoras contra os grupos de porta-aviões. Os modernos porta-aviões são o maior poder de ataque de qualquer Marinha e que fazem a diferença em um combate, cita o especialista militar Mikhail Khodarenok ao canal RT.

    "Apesar da força e efetividade dos porta-aviões, estas embarcações são muito caras em termos de construção e manutenção, podendo custar bilhões de dólares. Atualmente, apenas nove países possuem este tipo de embarcação", ressalta o especialista.

    Por exemplo, a Marinha norte-americana possui 11 porta-aviões nucleares que operam como parte de um grupo de ataque de porta-aviões. Os EUA possuem 67 esquadrões de porta-aviões e 731 caças.

    A Marinha do Exército de Libertação Popular (ELP) da China possui dois porta-aviões. A China iniciou a construção do porta-aviões Type 003, com o ambicioso objetivo de alcançar seis porta-aviões operacionais até 2035.

    O Reino Unido, por sua vez, possui apenas dois porta-aviões, enquanto a França tem somente um. A Índia tem um cruzador de aeronave da classe 1143.

    "A Rússia tem focado seus esforços na construção de navios, submarinos e aeronaves que transportam mísseis para neutralizar potencial ameaça deste tipo. Além disso, o país desenvolveu mísseis antinavio P-700 Granit e bombardeiros de longo alcance, como o Tu-22M3, que transporta mísseis antinavio X-22 para atacar porta-aviões inimigo", observou Khodarenok.

    Depois de o míssil hipersônico de cruzeiro entrar em serviço e ter sua produção em série iniciada, os navios e submarinos russos obterão os mísseis Tsirkon, que devem suprir a carência da Marinha russa com relação ao insuficiente alcance de suas armas.

    Segundo relatos, o alcance do Tsirkon pode chegar a mil quilômetros, o que limitaria significativamente o potencial das capacidades inimigas em organizar efetivamente a defesa para seu grupo naval.

    Outra grande vantagem para a Marinha russa será a velocidade do míssil Tsirkon, que pode exceder o Mach 8, junto com seu minúsculo radar na seção transversal. Com isso, o míssil antinavio russo tornará os sistemas de defesa inimigos ineficazes, pois não terão tempo de reagir, ressaltou o analista.

    Com os mísseis de cruzeiro hipersônicos, a Marinha russa mudará radicalmente o equilíbrio das forças em alto mar, já que os novos mísseis basicamente equivalem às armas nucleares táticas quando em combate, fazendo com que os inimigos não tenham chance de neutralizar os mísseis russos, concluiu Khodarenok.

    Mais:

    Marinha dos EUA tenta se preparar para uma Rússia mais fortalecida no Atlântico
    Marinha russa inicia construção de 2 modernos porta-helicópteros
    Marinha russa monitora destróier britânico no mar Negro
    Tags:
    Marinha, Rússia, míssil hipersônico, míssil de cruzeiro, míssil balístico, míssil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar