19:02 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    51627
    Nos siga no

    Pela primeira vez desde o fim da Segunda Guerra Mundial, o governo japonês pode mudar sua doutrina militar, permitindo que suas Forças de Autodefesa lancem ataques contra territórios estrangeiros.

    Meses antes de anunciar sua renúncia, o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe iniciou uma alteração na política de defesa que poderia resultar em mudanças que permitiriam ao país desenvolver operações militares fora de suas fronteiras pela primeira vez desde o fim da Segunda Guerra Mundial, segundo a Reuters.

    A mudança de política do país obrigaria as Forças de Autodefesa do Japão a criar uma doutrina militar na qual poderiam ser realizados ataques contra territórios inimigos, uma missão que exigiria a compra de armas de longo alcance como mísseis de cruzeiro.

    O JS Hyuga é o primeiro destróier porta-helicópteros de sua classe da Força Marítima de Autodefesa do Japão. Foi construído em 2006 e entrou em serviço em 2009. O navio recebeu o nome da antiga província japonesa de Hyuga. É o maior navio construído para a Marinha japonesa desde a Segunda Guerra Mundial. A classe Hyuga são sobretudo navios de guerra antissubmarina que transportam helicópteros antissubmarino SH-60K
    © Foto / Wivern
    O JS Hyuga é o primeiro destróier porta-helicópteros de sua classe da Força Marítima de Autodefesa do Japão.

    Caso a política seja adotada pelo próximo governo, a medida marcaria uma das mudanças mais significativas na postura militar do país e "refletiria o esperado impulso de Abe por um Exército mais sólido e a crescente preocupação de Tóquio com a influência chinesa na região".

    O governo japonês está preocupado com o aumento da atividade militar da China em torno das ilhas disputadas de Senkaku (Diaoyu) no mar do Sul da China.

    "A principal razão de nossa ação é a China [...] As decisões de segurança que tomamos se devem à China", afirmou Masahisa Sato, um legislador do Partido Liberal Democrático de Abe.

    Mais:

    Quebrando tabu: bombas de Hiroshima e Nagasaki levaram mesmo à rendição do Japão?
    Austrália, Japão e EUA conduzem exercícios no mar das Filipinas em meio a tensões com China
    População do Japão encolhe pelo 11º ano consecutivo
    Tags:
    defesa, equipamentos militares, ataques, ataque, Japão, Marinha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar