20:49 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3817
    Nos siga no

    A China poderia perder quase todo seu arsenal de mísseis balísticos e de cruzeiro se assinasse um novo tratado estratégico de controle de armas, segundo análise de segurança.

    A análise, que busca explanar as consequências para Ásia com o fim do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF, na sigla em inglês), é um dos capítulos da avaliação anual de segurança da Ásia-Pacífico publicada pelo Instituto Internacional para Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês).

    O relatório do centro de estudos foi divulgado na sexta-feira (5), cobrindo questões de segurança como as relações entre Estados Unidos e China, além das políticas do Japão e Coreia do Norte, revela o portal Defense News.

    A China poderia perder até 95% de seu arsenal de mísseis balísticos e de cruzeiro se assinasse um acordo semelhante ao tratado INF dos anos 1980, de acordo com os autores do estudo.

    O antigo tratado, assinado pelos EUA e URSS em 1987, baniu todos os sistemas de mísseis com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros. Em agosto de 2019, os EUA saíram do acordo, acusando a Rússia de violações.

    Secretário Geral do PC da URSS, MIkhail Gorbachev, e presidente dos EUA, Ronald Reagan, assinam Tratado INF, em dezembro de 1987
    © Sputnik / Yuri Abramochin
    Secretário Geral do PC da URSS, MIkhail Gorbachev, e presidente dos EUA, Ronald Reagan, assinam Tratado INF, em dezembro de 1987

    Contudo, a análise do IISS sugere que a saída unilateral dos EUA foi impulsionada pelo crescimento do arsenal de mísseis da China, que seria dona do maior inventário do mundo de mísseis balísticos de curto e médio alcance. De acordo com estimativas do centro de estudos, a China possui mais de 2.200 mísseis que recaem nas restrições do INF.

    Além disso, o relatório coloca em dúvida se a intenção dos EUA de desenvolver e instalar armas, anteriormente proibidas pelo INF, fará com que a China aceite negociar um controle de armas.

    Mais:

    Corrida armamentista? Confira os avanços tecnológicos da Rússia em 2019 após fim do Tratado INF
    China teria testado míssil intercontinental capaz de atingir os EUA com ogiva nuclear
    Marinha dos EUA lança míssil em meio a tensões com Pequim no mar do Sul da China (FOTOS)
    Tags:
    tratado, EUA, China, míssil, INF, defesa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar