02:19 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    4360
    Nos siga no

    A modernização militar da China coloca em risco "a soberania dos EUA no Pacífico ocidental", destaca o Congresso norte-americano.

    Caso os EUA não elevem suas capacidades navais, o potencial de sua Marinha poderia eventualmente ser alcançado e até mesmo superado pela China, advertiu o Serviço de Pesquisa do Congresso dos EUA (CRS, na sigla em inglês).

    A agência ressalta os esforços da Marinha chinesa para modernizar sua frota ao longo dos últimos 25 anos, graças aos quais o país asiático está conduzindo um número crescente de operações navais, e não apenas nas zonas costeiras da China, como também em águas mais distantes, incluindo "as águas mais amplas do Pacífico ocidental, o oceano Índico e as águas de toda a Europa".

    Isto será "um grande desafio" para a capacidade da Marinha dos EUA de exercer "o controle em tempos de guerra" em alto mar no Pacífico ocidental, o primeiro desafio desde o final da Guerra Fria, que põe em perigo "o status de muitos anos dos EUA como a principal potência militar no Pacífico ocidental".

    A modernização militar da China engloba "uma ampla gama de programas de aquisição de plataformas e armas", incluindo mísseis balísticos e de cruzeiro antinavio, submarinos, navios de superfície, aviões e drones.

    Segundo o CRS, os esforços de Pequim nesta esfera estariam dirigidos, entre outras coisas, à manutenção de suas capacidades navais para poder abordar a situação com Taiwan por meios militares, atingindo "um maior grau de controle ou dominação" sobre o mar do Sul da China, bem como para diminuir o papel dos EUA no Pacífico ocidental e assumir o papel de principal potência da região e do mundo.

    O Liaoning é o único porta-aviões da Marinha da China. Inicialmente, o navio foi construído para a União Soviética como porta-aviões Riga da classe Kuznetsov. Após a dissolução da União Soviética, o navio foi comprado pela China em 1998, reconstruído e entrou em serviço da Marinha do Exército de Libertação Popular da China sob o nome de Liaoning em 2012
    © AFP 2020 / STR
    O Liaoning é o único porta-aviões da Marinha da China. Inicialmente, o navio foi construído para a União Soviética como porta-aviões Riga da classe Kuznetsov. Após a dissolução da União Soviética, o navio foi comprado pela China em 1998, reconstruído e entrou em serviço da Marinha do Exército de Libertação Popular da China sob o nome de Liaoning em 2012

    "Em se tratando do equilíbrio do poder naval entre os EUA e a China, observadores norte-americanos e estrangeiros avaliaram que os EUA têm mais capacidade naval em geral. O esforço de modernização naval da China desde a década de 1990 reduziu consideravelmente a vantagem dos EUA [...] Pequim poderia igualar ou inclusive superar os EUA na capacidade naval geral", cita comunicado do CRS.

    Neste contexto, a entidade aborda uma série de questões que requerem a atenção do Congresso, como o esforço dos EUA em elevar suas capacidades e se a Marinha do país estaria apropriada para contra-atacar o esforço chinês nos próximos anos.

    Mais:

    Marinha da Índia entra em alerta em meio às atividades da China no Índico
    Marinha da China pode se tornar uma das maiores do mundo em 10 anos
    Marinha dos EUA lança míssil em meio a tensões com Pequim no mar do Sul da China (FOTOS)
    Tags:
    EUA, Congresso dos EUA, navios, modernização, Marinha, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar