14:07 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    276
    Nos siga no

    A Força Aérea dos EUA testou uma plataforma de queda livre para a utilização de bombas aéreas lançadas a partir de aviões de transporte militar.

    A Força Aérea dos EUA testou, no início do ano, o projeto de lançar um "pacote" de munições guiadas de alta precisão montados sobre uma plataforma a partir de seus aviões de transporte, o que converterá as aeronaves de carga em transportadores de armas, caso seja necessário, informou o portal The Drive.

    O Pentágono descreveu o desenvolvimento como uma arma de alta precisão e longo alcance para destruição de alvos móveis e estacionários.

    O sistema de Veículos Aéreos Substituíveis de Lançamento de Carga com Distância Estendida (CLEAVER, na sigla em inglês) "representa uma nova abordagem no lançamento de grandes quantidades de armas de longo alcance, o que trará uma nova dinâmica ao combate de alto nível", comunicou o coronel Garry Haase da Força Aérea dos EUA.

    Os primeiros testes ocorreram em janeiro com os cargueiros C-130 Hercules e C-17 Globemaster.

    ​Teste do sistema CLEAVER com o cargueiro C-130 Hercules.

    Como é possível observar em uma foto publicada da nova arma, a plataforma é dotada de munições montadas sobre ela semelhantes às bombas AGM-154. Além da cauda em forma de X, a AGM-154 tem asas que se abrem em voo e permitem que a bomba voe a uma distância considerável.

    Entretanto, o método exato de utilização do CLEAVER ainda é desconhecido, embora pareça que o objetivo do projeto seja proporcionar, em caso de necessidade, às aeronaves de transporte a capacidade de serem convertidas rapidamente em aviões de ataque.

    Mais:

    Misteriosa espaçonave da Força Aérea dos EUA se prepara para 6ª missão
    Força Aérea dos EUA pronta para usar seu arsenal nuclear apesar da pandemia
    Força Aérea dos EUA terá mais 3 aeronaves de reconhecimento capazes de detectar explosões atômicas
    Tags:
    EUA, Força Aérea, cargueiro, bombardeiros, Bombardeiro, bombas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar