04:35 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    192
    Nos siga no

    Durante as últimas semanas, fornecedores militares dos EUA viram o coronavírus se transformar em uma verdadeira crise nacional, porém, o setor mantém certa normalidade.

    "Sempre existem preocupações, mas neste momento não temos nenhum grande atraso", afirmou Will Roper, secretário assistente da Força Aérea norte-americana para Aquisição, Tecnologia e Logística em uma coletiva de imprensa em 27 de março, revela a publicação Defense News.

    As negociações do contrato de produção do programa de Dissuasão Estratégica de Baseamento Terrestre (GBSD, na sigla em inglês) continuam de acordo com o planejado. "GBSD ainda está em andamento para que seja realizada a tempo a seleção de um fornecedor e a Bentrega do contrato", comenta Roper.

    Enquanto isso, a Boeing anunciou na semana passada que vai implementar uma pausa de duas semanas nas operações em sua planta no estado norte-americano de Washington. Porém, a linha de montagem da aeronave KC-46 tem que ser retomada rapidamente, diz Roper. "Não há razão" para acreditar que a Boeing estenderá este período.

    Contudo, a maior preocupação seria os governadores optarem por aprovar legislação para paralisação da produção em seus estados, sem exceções para os fornecedores militares.

    Se tais medidas forem aplicadas, companhias como Raytheon e Northrop Grumman serão incapazes de honrar seus contratos com a Força Aérea, paralisando outros projetos.

    Mais:

    Veja em VÍDEO treinamento conjunto dos EUA e Japão com aeronaves Osprey
    Aeronaves espiãs dos EUA sobrevoam península da Coreia para descobrir 'presente de Natal'
    Gigantes da indústria competem para desenvolver novíssima aeronave militar dos EUA
    Tags:
    aeronave, Boeing, contrato, Força Aérea, Defesa, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar