14:23 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldado do Exército dos EUA

    Exército americano aponta área em que EUA são inferiores a Rússia e China

    © AP Photo / Visar Kryeziu
    Defesa
    URL curta
    13331
    Nos siga no

    Em caso de um conflito militar com a Rússia ou a China, os EUA não estão preparados para enfrentar as ameaças da guerra eletrônica, escreve portal militar.

    Segundo observou o tenente-coronel Gary Lyke, o Exército norte-americano é mais lento do que outros na questão de melhoria de métodos de guerra eletrônica, escreve o Breaking Defence.

    O tenente-coronel americano, cita como exemplo o fato de que, durante exercícios, os militares americanos não desligam seus celulares, dando sua localização exata.

    Outro fator, segundo Lyke, é que os soldados americanos esquecem de criar canais de comunicação alternativos caso a comunicação principal fique bloqueada.

    Forças americanas despreparadas?

    "Se você perguntar se estamos prontos ou não no EMS [Espectro Eletromagnético], eu diria que não", disse.

    Na opinião de Lyke, a Rússia e a China irão tirar partido destas deficiências. Além disso, ele comenta que a formação dos militares dos EUA é complicada pelas exigências dos reguladores, que impõem restrições ao tempo e à potência do equipamento utilizado na guerra eletrônica.

    Sistema de guerra eletrônica móvel terrestre russo Krasukha-4
    © Sputnik / Pavel Lisitsin
    Sistema de guerra eletrônica móvel terrestre russo Krasukha-4

    O tenente-coronel do Exército dos EUA, Matthew Poole, observou que os adversários, por sua vez, têm meios de interferência eletrônica.

    "Temos que parar de ignorar deliberadamente o fato de que os adversários também têm meios de interferência eletrônica", ressaltou Poole.

    Mais:

    Mídia: em caso de guerra eletrônica, a Rússia terá enorme vantagem frente aos EUA e OTAN
    Conheça sistema russo de guerra eletrônica Palantin
    Especialistas militares dos EUA classificam Rússia como 'ameaça séria e temível'
    Tags:
    China, Rússia, guerra eletrônica, Exército dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar