15:12 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Caças russos Su-27

    Caça russo intercepta bombardeiro dos EUA perto da fronteira na região do mar Negro

    © Sputnik / Vitaly Timkiv
    Defesa
    URL curta
    9633
    Nos siga no

    Um caça russo Su-27 detectou um bombardeiro americano B-52H na região do mar Negro se aproximando da fronteira russa e iniciou a sua escolta, informou o Ministério da Defesa da Rússia na quarta-feira (23).

    Segundo ministério, o incidente aconteceu no sábado passado (19). Primeiramente um bombardeiro estratégico B-52H dos EUA "foi acompanhado por meios de controle aéreo russos" durante a aproximação às águas do mar Negro.

    Tendo se aproximado da fronteira russa, o bombardeiro americano foi interceptado por um caça Su-27 russo e "foi acompanhado durante todo o seu voo ao longo da fronteira das águas territoriais russas, a uma distância de cerca de 70 quilômetros da fronteira".

    Depois de completar a sua missão, o Su-27 voltou ao aeródromo na Crimeia. Ultimamente, os voos de aeronaves de países ocidentais têm se tornado cada vez mais frequentes.

    Voos constantes

    Recentemente, cada vez mais aviões e veículos aéreos não tripulados de reconhecimento estrangeiros têm aparecido perto das fronteiras e instalações militares russas. Eles são vistos periodicamente sobre o mar Báltico, na Crimeia e na região de Krasnodar, bem como perto de bases russas na Síria.

    Apesar dos protestos de Moscou, Washington, em particular, mantém de maneira constante suas operações de inteligência próximo a territórios da Rússia. Tais operações podem causar instabilidade e criam uma tensão artificial entre os EUA e a Rússia.

    Mais:

    Caça russo intercepta avião dos EUA no mar Negro – Vídeo
    Defesa russa intercepta e abate drones terroristas próximo de sua base aérea na Síria
    OTAN publica FOTOS infravermelhas de caças Su-34 e Su-24 russos 'interceptados'
    Tags:
    EUA, Rússia, B-52H, mar Negro, escolta, SU-27
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar