22:05 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Militar ucraniano lançando míssil antitanque Javelin durante os primeiros testes dos complexos adquiridos dos EUA

    Departamento de Estado dos EUA aprova venda de mísseis Javelin para Ucrânia

    © AP Photo/ Mykhailo Markiv
    Defesa
    URL curta
    11513
    Nos siga no

    O governo Trump planeja vender mais mísseis anti-tanque para a Ucrânia, disseram autoridades dos EUA nesta quarta-feira (3).

    A venda de 150 mísseis Javelin e 10 lançadores, por US$ 39,2 milhões, foi aprovada no final da semana passada pelo Departamento de Estado, segundo pessoas familiarizadas com os detalhes, citadas pelo The Wall Street Journal.

    A venda ainda não foi formalmente anunciada, mas a Ucrânia conta com forte apoio da Câmara e do Senado dos EUA, onde a venda precisa ser aprovada.

    O acordo foi acertado durante a conversa entre o presidente Donald Trump com o presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky.

    A ligação entre os dois presidentes é alvo de um pedido de impeachment contra Trump. Durante o diálogo, o presidente americano teria pedido para que Zelensky investigasse as atividades do ex-vice-presidente dos EUA, Joe Biden, e do seu filho Hunter.

    O pedido de compra de mais mísseis Javelin foi feito por Zelensky.

    "Estamos prontos para cooperar para as próximas etapas, especificamente estamos quase prontos para comprar mais Javelins", de acordo com um registro da ligação divlgado pela Casa Branca.

    O sistema de mísseis FGM-148 Javelin é produzido por uma joint venture entre a Raytheon Co. e a Lockheed Martin Corp. e pode ser transportado e disparado por uma única pessoa.

    Mais:

    Trump diz que Ucrânia 'deve investigar' Joe Biden e seu filho
    'Empurrando velharia para Kiev': por que EUA forneceram à Ucrânia Javelin defeituosos?
    Pentágono gastará US$ 300 milhões em exportação de mísseis Javelin a aliados
    Forças Aerotransportadas da Ucrânia receberão sistemas americanos Javelin em 2019
    Tags:
    venda, Javelin, Javelin FGM-148, Estados Unidos, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar