15:31 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Caça russo MiG-35 durante voo de demonstração na Rússia

    Força Aeroespacial russa acaba de receber 2 novíssimos caças MiG-35

    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Defesa
    URL curta
    6210
    Nos siga no

    A Força Aeroespacial da Rússia recebeu dois modernos caças MiG-35 e está previsto obter mais quatro aparelhos deste modelo até o final deste ano, comunicou Ilya Tarasenko, diretor-geral da corporação MiG.

    "Nos últimos três anos, fizemos um grande avanço no programa MiG-35. No menor tempo possível, lançamos a produção dessa aeronave, a testamos, e em dois anos e meio passamos das atividades de desenvolvimento para um contrato com o Ministério da Defesa russo", informou Tarasenko.

    De acordo com o diretor da corporação, planeja-se entregar outras quatro aeronaves até o final do ano.

    A empresa espera assinar outro contrato com o Ministério da Defesa para o MiG-35, acrescentou Tarasenko.

    O MiG-35 é o mais novo caça multiuso de geração 4++, projetado para ganhar supremacia aérea e atingir alvos terrestres fora da zona de defesa aérea do inimigo. Ele também recebeu capacidade de alvejamento de precisão, bem como o sistema de localização ótica que lhe dá a capacidade de detectar e rastrear aeronaves ou drones inimigos sem depender da informação dos radares terrestres.

    Os testes de voo do caça aconteceram no dia 26 de janeiro de 2017, e no dia seguinte a aeronave foi apresentada internacionalmente na região de Moscou.

    No fórum EXÉRCITO 2018, o Ministério da Defesa e a empresa assinaram um contrato para a entrega de seis desses caças até 2023, algo que será concretizado já este ano.

    Mais:

    Caça russo MiG-35 está pronto para testar radar de varredura eletrônica ativa
    MiG-35 russo é destinado a 'conquistar supremacia aérea', diz ex-piloto
    VÍDEO registra teste de 2 versões modernizadas do caça russo MiG-35
    Tags:
    Ilya Tarasenko, Força Aeroespacial da Rússia, MiG-35
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar