23:48 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Tu-22M3M, bombardeiro modernizado russo, é visto durante a cerimônia de rolagem, na Fábrica de Aviões de Kazan

    Bombardeiro russo pode ser extremamente 'desagradável' para EUA, diz revista

    © Sputnik / Maksim Bogodvid
    Defesa
    URL curta
    5271
    Nos siga no

    Recentemente, o Ministério da Defesa russo divulgou imagens do aguardado bombardeiro estratégico Tu-22M3M em ação.

    Na divulgação é possível ver o bombardeiro em manobras de decolagem, voo e pouso.

    A assessoria de imprensa da Tupolev informou que a aeronave teve 80% de seus aviônicos substituídos, o que aperfeiçoará a precisão da navegação e o nível de automação, além de otimizar a manutenção técnica e o pré-voo, segundo a revista The National Interest.

    A aeronave também contará com a integração do sistema de navegação GLONASS, interface digital integrada, cabine de vidro e contramedidas de guerra eletrônica (ECM).

    A Rússia deixa claro que está atualizando seus modelos com o que há de melhor em tecnologia, mantendo o chassi da era soviética, ou seja, o país está modernizando sua frota com o que há de melhor, sem elevar os custos de pesquisa e desenvolvimento, além de acelerar o desenvolvimento de seus projetos.

    Porém, não são apenas os aviônicos que importam na era da guerra moderna e, pensando nisso, os russos integraram no pacote de atualizações a inclusão de até três novos mísseis Kh-32 no Tu-22M3M.

    O Kh-32 foi desenvolvido como um míssil antinavio, mas também é eficaz contra alvos de infraestrutura crítica, como pontes e usinas elétricas, possibilitando uma maior flexibilidade ofensiva, o que torna a aeronave "única" ao desempenhar papéis táticos, estratégicos e operacionais.

    Com isso, o bombardeiro será uma das poucas aeronaves compatíveis com o míssil Kh-47 Kinzhal, com velocidade Mach 10, revelado pelo presidente russo, Vladimir Putin.

    Segundo o especialista militar Yuri Knutov, o Tu-22M3M é a ponta de lança de uma nova estratégia de projeção de força.

    Além disso, o bombardeiro provavelmente será capaz de pousar na maioria dos terminais, utilizando os pontos de decolagem. Dessa forma, os Tu-22M3M podem ser enviados para a Crimeia, no mar Negro, onde entram regularmente destróieres norte-americanos.

    Nesse caso, se as tensões aumentarem, a presença dos bombardeiros Tu-22M3M será uma surpresa extremamente ‘desagradável’ para a Marinha norte-americana, refere a mídia.

    A Força Aérea russa deverá receber os primeiros bombardeiros Tu-22M3M em 2021, enquanto dezenas de Tu-22M3 serão modernizados com o pacote de atualização M3M.

    Mais:

    Será bastante 3 regimentos de caças Su-57 para Rússia concorrer com F-22?
    Rússia desenvolve novíssimo míssil antinavio para caças de 5ª geração Su-57
    Grande futuro: piloto revela capacidades que marcam sucesso de novo caça russo Su-57
    Tags:
    Força Aérea, avião de combate, avião de assalto, avião de ataque, Bombardeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar