11:26 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Astra, míssil ar-ar de emprego além do alcance visual produzido na Índia

    Índia pondera desafios de superpotências e avança com seu programa tecnológico

    CC BY-SA 2.5 / Rajan Manickavasagam, Christian Alexander Tietgen / Astra Mk-I missile
    Defesa
    URL curta
    4181
    Nos siga no

    As associações da Índia com a Rússia em temas espaciais e com o Japão na defesa foram impulsionadas pelas atividades da China.

    A Índia enfrenta desafios globais impostos pelas superpotências, que competem entre si desde que se juntou com a Rússia em temas espaciais e com o Japão na defesa contra o desenvolvimento das armas orbitais da China, declarou à RT o Doutor Rajeswari Pillai Rajagopalan, especialista em política espacial.

    Rajagopalan, chefe da Iniciativa de Política Nuclear e Espacial do centro de estudos Observer Research Foundation, sediada na Índia, acredita que na atualidade o país é obrigado a atuar "equilibradamente" quando se trata de associações externas no espaço.

    A agência espacial da Índia firmou um acordo com a Corporação Estatal de Atividades Espaciais da Rússia (Roscosmos) para cooperar na criação de um sistema de navegação global e no envio de um astronauta indiano à orbita em 2022, ano em que serão celebrados os 75 anos da independência da Índia.

    "Desde o anúncio em agosto do ano passado [da missão espacial tripulada], houve uma quantidade de agências espaciais internacionais batendo na porta da Índia", explicou o especialista, enfatizando acreditar que a Índia acertou na decisão de formar uma parceria com a agência espacial russa e outros centros científicos da Rússia.

    Apesar de a Índia ter seguido uma política de não-alinhamento durante a Guerra Fria, ela sempre buscou a cooperação militar e científica na superpotência mais próxima, a União Soviética.

    O especialista também afirmou que o desejo da Índia em alcançar o estatuto de potência espacial foi impulsionado pelas ambições espaciais da China.

    Em 2007, quando o Exército chinês realizou seu primeiro teste com êxito de mísseis antissatélite, destruindo um satélite meteorológico com um míssil de vários estágios, isso serviu como um "alerta" para a Índia "sobre o tipo de ameaças e desafios que existem no espaço".

    Em resposta, o teste de um míssil assassino de satélites, lançado por Nova Deli na semana passada, foi uma "demonstração do fato de que a Índia também deve ter sua própria capacidade dissuasora", disse Rajagopalan, concluindo que "a China expressou que tem um programa espacial pacífico.

    Porém, a realidade tem sido que existe um próspero programa espacial militar [chinês]" e, por isso, a Índia continuará preocupada e continuará monitorando os desenvolvimentos chineses, formando parcerias com outros países para fortalecer sua capacidade de dissuasão no espaço.

    Mais:

    EUA agradece Índia por cortes na compra de petróleo venezuelano
    Pentágono adverte Índia sobre testes espaciais após derrubada de satélite
    Índia entra para grupo de países capazes de derrubar satélites com mísseis, diz premiê
    Tags:
    defesa espacial, tecnologia militar, tecnologia, avançado, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar