05:06 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Lanchas rápidas do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã escoltam o porta-aviões USS John C. Stennis (CVN-74) dos EUA enquanto navega ao golfo Pérsico através do estreito de Ormuz, 21 de dezembro de 2018

    Irã planeja modernizar suas lanchas com tecnologia furtiva

    © REUTERS / HAMAD I MOHAMMED
    Defesa
    URL curta
    10171

    O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã (CGRI) anunciou sua intenção de melhorar suas lanchas rápidas no golfo Pérsico, dotá-las com tecnologia furtiva para evitar radares e equipá-las com novos lançadores de mísseis em meio às tensões criadas devido à chegada de um porta-aviões nuclear norte-americano.

    "Estamos nos dedicando a aumentar a agilidade das lanchas rápidas do CGRI e equipá-las com tecnologia furtiva para facilitar suas operações", disse o chefe da Marinha do CGRI, Alireza Tangsiri, citado pela agência de notícias IRNA.

    Além disso, ele acrescentou que as lanchas serão equipadas com novos mísseis e sua velocidade atingirá 80 nós. No entanto, Tangsiri não especificou se a República Islâmica já domina essas tecnologias, relata a Reuters.

    Em meados de dezembro, um grupo aeronaval da Marinha dos EUA, liderado pelo porta-aviões nuclear USS John C. Stennis, entrou no golfo Pérsico. Sua chegada foi precedida por alertas emitidos pelo Irã, que ameaçou bloquear o estreito de Ormuz — o único porto marítimo de escoamento do golfo Pérsico e um corredor para um terço das exportações mundiais de petróleo.

    Segundo o major-general Mohammad Ali Jafari, a presença das forças norte-americanas no golfo Pérsico visa "enganar os estados regionais e fingir que eles estabelecem segurança para esses países".

    Mais:

    Maior parceiro no Oriente Médio, Irã critica Bolsonaro por levar embaixada para Jerusalém
    'Chegar o mais próximo possível do Irã': político russo explica presença dos EUA no Iraque
    Analista: saída dos EUA da Parceria Transpacífico permite à China dominar no Pacífico
    Tags:
    lanchas, tecnologia furtiva, tensão, porta-aviões, Golfo Pérsico, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar