02:53 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    T-14 Armata durante o ensaio para a Parada da Vitória em Moscou

    Eis os 5 países que poderão comprar o letal tanque russo Armata

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Defesa
    URL curta
    3260

    Apesar de o tanque de nova geração T-14 Armata ainda não estar em operação no Exército russo, o equipamento já suscita muito interesse em outros países. O jornal norte-americano The National Interest fez uma lista dos potenciais compradores do Armata.

    Índia

    O autor do artigo, Charlie Gao, considera que a Índia é um dos países mais interessados na compra do inovador tanque russo, já que o T-14 corresponde aos requisitos do programa FCRV (Future Ready Combat Vehicle), que busca um novo tanque para o exército do país.

    Os possíveis concorrentes do T-14 russo são o K2 Black Panther da Coreia do Sul e o BM Oplot da Ucrânia. A maioria dos atuais tanques ocidentais, como o Leopard 2A7 alemão e o M1A2 Abrams dos EUA são demasiado pesados para o solo indiano.

    Quanto aos tanques de produção local, a edição destaca o Arjun Mk. 2, mas o analista duvida que este possa superar a má reputação de seu antecessor.

    China

    Embora Pequim esteja desenvolvendo sua própria indústria militar, o país asiático continua adquirindo equipamento avançado russo, como, por exemplo, os caças Su-35S e o sistema de defesa antiaérea S-400.

    O autor lembra que a China desde os anos 90 tende a comprar armas russas de alta tecnologia para depois incorporar suas características nos seus próprios produtos. Assim, é provável que Pequim tente adquirir os novos tanques Armata para estudar o seu funcionamento e criar seu próprio análogo para exportação.

    Argélia

    O país norte-africano mantém cooperação militar com a Rússia há muitos anos e possui algumas das armas mais avançadas, como tanques T-90, aviões de combate Su-30MKA, aviões de treinamento Yak-130, entre outras.

    Ao comprar os tanques sobre a plataforma Armata, a Argélia se tornará o país com o exército mais poderoso na região de Magrebe e até na África. Porém, como o país já possui os avançados T-90, é pouco provável que compre muitos T-14 devido a seu alto preço.

    Egito

    Assim como aArgélia, o Egito tem mostrado preferência pelas armas russas, substituindo seus tanques de produção americana Abrams pelos T-90 russos.

    Isso faz com que o Egito seja um potencial comprador do Armata. Mas, como o país encomendou um lote de T-90 ainda em 2017, é pequena a probabilidade que firme outro contrato do mesmo tipo de armamento a curto prazo.

    Emirados Árabes Unidos

    Junto com a Argélia e o Egito, os Emirados Árabes Unidos têm cito citados como potenciais compradores do caça russo de quinta geração Su-57. O país opera veículos de combate de infantaria russos BMP-3, enquanto sua frota de tanques é composta totalmente por carros de combate Leclerc franceses, que mostraram bom desempenho no Iêmen.

    No entanto, em uma ocasião um tanque deste tipo foi penetrado por um míssil do velho sistema antitanque russo Konkurs. O projétil matou o motorista e feriu o comandante do tanque.

    Após o incidente, os Emirados se interessaram por equipamentos de modificação para seus Leclerc. Se a França não puder fornecê-los ou se o T-14 russo oferecer melhor solução, os EAU poderão optar pelo Armata nos próximos anos.

    Mais:

    'Reflexões ridículas', diz analista sobre comparação entre tanques russo e israelense
    Tags:
    equipamento militar, tanque, compra, armas, exportação, Abrams, Leclerc, T-90, T-14 Armata, The National Interest, Emirados Árabes Unidos, Argélia, Egito, Índia, China, EUA, França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik