00:58 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Míssil balístico intercontitental Minuteman III é visto na base aérea de Minot, nos EUA (foto de arquivo)

    Pentágono pode modernizar seus mísseis intercontinentais, opina especialista

    © AP Photo / Charlie Riedel
    Defesa
    URL curta
    122

    Em uma conversa com a Sputnik, um especialista militar russo comentou o recente lançamento de teste do míssil balístico intercontinental Minuteman III no território estadunidense.

    Mais cedo, a FoxNews comunicou que na noite da terça-feira (6) foi realizado desde a base de Vandenberg, no sul da Califórnia, um novo teste da arma, que não portava ogiva e acabou bem-sucedido e atingindo o alvo.

    Vale ressaltar que o primeiro lançamento da série se realizou em abril do ano corrente, tendo sido seguido por mais um em agosto que, porém, foi interrompido por alegada "anomalia que poderia incluir qualquer evento imprevisto durante o teste".

    Imagem do míssil Avangard em ação, tirada do vídeo publicado pelo Ministério da Defesa da Rússia
    © Sputnik / Ministério da Defesa da Federação da Rússia
    Ao falar com o serviço russo da Rádio Sputnik, o diretor do Centro de Pesquisa Militar e Política da Universidade das Relações Internacionais de Moscou (MGIMO), Aleksei Podberezkin, assegurou que é comum testar estes sistemas com regularidade. Contudo, o analista prognosticou que estes, provavelmente, serão modernizados.

    "O Minuteman III entrou em serviço em 1970. Este é um míssil bom, mas não é novo, podem existir dúvidas em relação aos motores, ao sistema de orientação, por mais confiável que seja. Por isso tais lançamentos de teste dos mísseis antigos se realizam frequentemente, não há nada de especial nisso", opinou.

    Outra coisa muito mais importante, sublinhou ele, consiste no recente relatório apresentado ao presidente Trump pelo Pentágono, que fala sobre um aumento brusco da atividade da indústria militar norte-americana nas áreas tradicionais, inclusive a de produção de mísseis, bem como sobre o desenvolvimento de novas tecnologias.

    "Assim, estes mísseis antigos, inclusive os Minuteman III, serão modernizados com incorporação de novas tecnologias. Ou seja, em outras palavras, sua eficácia de combate crescerá em várias vezes. Os motores e os corpos podem ficar os mesmos, mas o sistema de orientação pode ser muito aperfeiçoado, o que permitirá aumentar a precisão até poder eliminar alvos bem protegidos", explicou.

    Os mísseis balísticos intercontinentais de três estágios da família Minuteman, equipados com ogivas nucleares, foram desenvolvidos no período da Guerra Fria com a União Soviética e se destinavam para garantir a contenção nuclear.

    Hoje, o Minuteman III é o único míssil balístico intercontinental lançado a partir de terra que está em serviço dos EUA. Segundo os últimos dados de fontes públicas, no total os EUA dispõem de 450 mísseis Minuteman III, que permanecerão em serviço até pelo menos 2020. O alcance da arma é de 12 mil quilômetros.

    Mais:

    Analista: mísseis S-300 estragam os planos dos EUA na Síria
    Mísseis americanos Patriot fortalecem futura defesa antiaérea da Alemanha
    EUA testam mísseis de médio alcance que não deveriam ter, diz Rússia (VÍDEO)
    Tags:
    testes de mísseis, míssil balístico intercontinental, Minuteman III, URSS, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik