14:28 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Lançamento do famoso míssil Avangard, apresentado em 1º de março deste ano pelo presidente russo, Vladimir Putin

    Inteligência americana revela alegado fracasso do projeto russo de mísseis hipersônicos

    © Sputnik / Ministério da Defesa da Federação da Rússia
    Defesa
    URL curta
    20925

    Os serviços secretos norte-americanos acreditam que a Rússia se deparou com problemas ao elaborar o sistema de mísseis hipersônicos Avangard, comunicou a mídia estadunidense citando suas fontes familiarizadas com o respectivo relatório.

    De acordo com o canal de TV CNBC, o problema consiste alegadamente no fato da Rússia não ser capaz de encontrar uma produtora de importantíssimos componentes de fibra de carbono para a fabricação da fuselagem do Avangard.

    O representante do Pentágono, Eric Pahon, comentou as informações ao canal dizendo que a Rússia nunca apresentou nenhumas "provas reais" de que estaria desenvolvendo essas armas com tecnologia de ponta.

    "Até agora, temos ouvido mais declarações grandiosas sobre sucessos do que provas reais", disse.

    A parte russa ainda não comentou esses relatos.

    Em seu discurso à Assembleia Federal da Rússia em 1º de março de 2018, o presidente russo, Vladimir Putin, declarou que a Rússia desenvolveu o sistema de mísseis Avangard, capaz de voar nas camadas densas da atmosfera com alcance intercontinental a uma velocidade hipersônica 20 vezes mais rápida do que a velocidade do som.

    O vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov, que naquela época era vice-ministro da Defesa da Rússia, afirmou que o Ministério assinou o contrato para produção em série do primeiro lote dos Avangard.

    Mais:

    Mídia: EUA e Israel usam Ucrânia para obter segredos dos mísseis S-300
    Ucrânia poderia construir mísseis que 'alcancem Moscou'?
    Mídia publica IMAGENS do impacto causado pelos mais recentes mísseis antinavio russos
    Tags:
    mísseis, Avangard, Pentágono, Vladimir Putin, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik