05:18 20 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados do Método Tático de Resistência Revolucionária

    Venezuela parece ter encontrado fórmula para afastar EUA e seus aliados (FOTOS)

    © Sputnik / Jose Negrón Valera
    Defesa
    URL curta
    76111

    Em 1990, o jornalista Stanley Karnow viajou ao Vietnã para entrevistar o general Vo Nguyen Giap, fundador e comandante do Exército do Povo do Vietnã que derrotou tanto o Exército francês, na Guerra da Indochina em 1954, como o Exército americano, na Guerra do Vietnã (1975).

    Essas vitórias sempre geraram debates e questões, sendo esse um dos motivos que levou o jornalista Karnow ao Vietnã, pois gostaria de compreender como uma nação agrária e tecnologicamente inferior, como é o caso do Vietnã, conseguiu vencer os exércitos mais poderosos do mundo, e é isso que o artigo de José Negrón Valera, da Sputnik Mundo, explica.

    O jornalista foi até aos campos de treinamento dos soldados do Exército Bolivariano da Venezuela para acompanhar de perto o Método Tático de Resistência Revolucionária (MTRR) que, por sua vez, pode ser a resposta para todas as questões levantadas anteriormente sobre a vitória vietnamita.

    Quando Hugo Chávez, ex-presidente venezuelano, chegou ao poder, ele começou uma fase de reflexão e reestruturação das Forças Armadas, onde manifestava claramente que os militares não devem estar separados do resto da sociedade, mas sim fazer parte integrante dela, através da inovadora fórmula da união cívico-militar.

    Soldados do Método Tático de Resistência Revolucionária
    © Sputnik / Jose Negrón Valera
    Soldados do Método Tático de Resistência Revolucionária

    Porém, seu projeto político passou a enfrentar alguns desafios através do golpe de Estado de 2002 e a paralisação petroleira de 2002-2003, que foram incentivados pelos EUA. Entretanto, Chávez estava decidido quanto à necessidade de transformar a concepção da defesa integral da nação, recorrendo às mesmas doutrinas utilizadas pelo exército vietnamita durante as vitórias na guerra da Indochina e na guerra do Vietnã.

    "Temos que converter a Venezuela em um país inexpugnável, blindado por todos os lados […] necessitando formar a doutrina da guerra de todo o povo. Todos somos soldados", comentava o ex-presidente Hugo Chávez.

    O coronel Frank Zurita, responsável pelo MTRR, explica que um dos grandes problemas encontrados, para colocar a ideia em prática, era a influência do exército americano na Venezuela. Zurita obteve grande experiência enquanto realizou seus estudos militares na França, onde pôde entender a aplicação da doutrina de Nguyen Giap. Ele também explicou que "o principal objetivo do MTRR é ensinar aos venezuelanos a combater coletivamente […]" e que "o método busca ensinar aos venezuelanos que não podem lutar sozinhos, mas que devem formar uma massa consciente, atuando como uma grande máquina, visando a formação das comunidades […]".

    O MTRR foi promovido pelo ministro de Defesa venezuelano, Padrino López, como uma estratégia dissuasiva ante as ameaças em torno do país. Ele via o método como sendo um meio de aperfeiçoar a tática, tanto individualmente quanto coletivamente, e que, além disso, não precisaria de qualquer investimento ou infraestrutura.

    Logo do Método Tático de Resistência Revolucionária
    © Sputnik / Jose Negrón Valera
    Logo do Método Tático de Resistência Revolucionária

    Thomas Barnett, um estrategista do Pentágono, é frequentemente citado pelos venezuelanos quando confessava que os EUA tinham um grande problema estratégico e que uma guerra não é apenas entrar no campo de batalha ou efetuar um ataque aéreo, pois isso não trará a paz.

    Vale ressaltar que, em 14 de setembro, uma suposta incursão de militares venezuelanos foi denunciada pela Colômbia e o secretário da OEA, Luis Almagro, afirmou que, em seu ponto de vista, deveria haver uma intervenção contra a Venezuela.

    Com isso, Zurita voltou a reforçar a ideia de converter os cidadãos em soldados, enfatizando que é preciso cultivar o espírito patriótico da população para obter a vitória.

    Mais:

    Por que China aposta na aliança estratégica com Venezuela?
    Venezuela vai à ONU após líder da OEA não descartar invasão militar do país
    Secretário-Geral da OEA não descarta uma intervenção militar na Venezuela
    Tags:
    soldados, combate, EUA, forças armadas, Exército, Hugo Chávez, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik