05:10 20 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Efetivos da Força de Segurança do Kosovo (KSF) durante uma cerimônia em Pristina, 5 de março de 2018

    'Não há aqui nenhuma paz': EUA armam Kosovo

    © AFP 2018 / ARMEND NIMANI
    Defesa
    URL curta
    929

    Na quarta-feira (18), em Bruxelas, começou a nova rodada de negociações entre o presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, e o líder da autoproclamada República do Kosovo, Hashim Thaci, com o propósito de resolver a questão do Kosovo.

    Entretanto, a imprensa sérvia informou que, em 17 de junho, o primeiro-ministro do Kosovo, Ramush Haradinaj, na presença do embaixador dos EUA em Pristina, Greg Delawie, assinou um contrato com a empresa norte-americana АМ General para a compra de 24 veículos militares HMMWV.

    Além disso, foi divulgado que o Departamento de Estado e o Departamento de Defesa dos EUA irão conceder à Força de Segurança do Kosovo (KSF, sigla em inglês) US$ 10 milhões (R$ 38,2 milhões) a fim de combater o terrorismo e o crime organizado, assim como uma oferta de 27 HMMWV, meios de comunicação e disponibilização de treinamento.

    Em resposta às generosas ofertas de Washington, Ramush Haradinaj disse que a transformação da KSF no Exército do Kosovo será realizada em estreita colaboração com seus "aliados". Por sua vez, Greg Delawie expressou satisfação com o fato de os EUA virem a fazer parte de "uma nova era da KSF".

    Parabéns pela assinatura do contrato de fornecimento de Humvees da AM General à Força de Segurança do Kosovo. Estamos entusiasmados por fazer parte desta próxima era da KSF!

    Ljuban Karan, analista militar e tenente-coronel aposentado que serviu na contraespionagem na Iugoslávia, acredita que esta é uma provocação norte-americana, e diz que "não há aqui nenhuma paz".

    "Eu acho que é mais um exemplo de pressão militar sobre a Sérvia. Estamos lidando com ações concretas em relação ao armamento, formação e instrução dos nossos potenciais adversários", explicou à Sputnik Sérvia.

    Ele enfatiza que, segundo a sua própria experiência, ninguém faz declarações sobre ações militares com antecedência. É preciso adivinhar o verdadeiro propósito dos EUA, oculto por trás de sua generosidade em relação a Pristina.

    "Este gesto também pode ser considerado como uma tentativa de forçar a Sérvia a desistir da política de neutralidade militar. Ou talvez seja parte de um plano de longo prazo para o estabelecimento das Forças Armadas do Kosovo e sua preparação para um possível ataque contra os enclaves sérvios no norte do Kosovo", sugere Karan.

    O analista militar está convencido de que o objetivo final é o desejo da OTAN de reunir tantos países quanto possível para lidar com a influência russa em determinados territórios.

    O analista político Aleksandar Pavic acredita que a Sérvia deve expressar um forte protesto contra os EUA e a OTAN relativamente ao apoio de Washington ao projeto do Exército do Kosovo.

    "Esta iniciativa não contribui para a paz de modo algum, pelo contrário, reduz as chances de sua preservação e também pode afetar o resultado das negociações sobre o destino do Kosovo e Metohija. Os representantes da OTAN falam repetidamente de seu respeito pela Resolução 1244, segundo a qual a Força do Kosovo é a única formação armada legítima no território do Kosovo. A tarefa da diplomacia sérvia é expressar categoricamente o seu protesto e precisa dizer que não faz sentido continuar as negociações quando se está armando simultaneamente uma organização paramilitar ilegal no Kosovo. Belgrado deveria ter feito barulho com esta história e usar isso como uma ferramenta diplomática", disse Pavic.

    Ele ressalta que a União Europeia, que assumiu o papel de mediadora nas negociações sobre o Kosovo, deveria ter reagido à situação, para que os EUA entendam que essa interferência prejudica o processo de negociação. Mas a experiência mostra que Bruxelas geralmente não se apressa em condenar esses procedimentos.

    Ramush Haradinaj declarou que, até o final do ano, haverá um exército bem armado no Kosovo. Atualmente, a Força de Segurança do Kosovo possui cerca de 8.000 efetivos.

    Mais:

    EUA poderão exigir que Kosovo seja aderido à ONU?
    Trump não conseguiria mudar princípio da OTAN sozinho, diz analista
    'Povo agressivo': Trump diz que Montenegro poderá envolver OTAN na 3ª Guerra Mundial
    Tags:
    exército, segurança, defesa, aliados, terrorismo, presente, Departamento de Estado dos EUA, Departamento de Defesa dos EUA, Força de Segurança do Kosovo (KSF), UE, OTAN, Hashim Thaci, Aleksandar Vucic, EUA, Kosovo, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik