14:09 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Avião-radar russo A-50

    Saem à luz mais detalhes sobre novo 'radar voador' russo

    © Sputnik / Ivan Rudnev
    Defesa
    URL curta
    4261

    O novo avião russo de alerta aéreo antecipado e controle A-100 Premier, projetado a partir do avião de transporte Ilyushin-76MD-90A, tem um nível de radiotransparência sem precedentes, escreve a mídia russa.

    Como informou o jornal russo Izvestia, os engenheiros russos conseguiram "criar e desenvolver uma tecnologia única" de produção de elementos aerodinâmicos radiotransparentes e de grande tamanho.

    Segundo o especialista, citado pelo diário, "nenhum complexo no mundo" pode ser comparável com o avançado avião russo. Se considerarmos outro avião de alerta antecipado, o A-50 – apelidado de "cogumelo voador" devido à característica cúpula de radar rotativa por cima da fuselagem – o "radar voador" tem um maior alcance de deteção de alvos aéreos e navais. Além disso, é capaz de vigiar mais alvos simultaneamente que seu predecessor e tem uma velocidade de processamento de dados mais alta.

    A fonte sublinhou que o A-100 é capaz de apontar alvos a qualquer velocidade ou altitude, mesmo se for submetido a interferências.

    O novo avião está dotado de sistemas de radar projetados pelo consórcio Vega, que lhe permitem detectar e acompanhar vários tipos de alvos, tais como caças, aviões de assalto ou alvos terrestres e navais.

    O avião vai substituir os sistemas aéreos A-50 e A50-U. Segundo declarou antes o Ministério da Defesa da Rússia, o fornecimento em série dos A-100 ao exército começará em 2020.

    Mais:

    Caça Su-57 é a melhor alternativa ao F-35 estadunidense para Turquia, diz analista
    Duelo aéreo: caça Su-57 russo vs. F-35 norte-americano
    Analista sobre possível compra de caças Su-57 russos pela Turquia: é um sinal para EUA
    Turquia pode optar por comprar caças russos Su-57 em vez de norte-americanos F-35?
    Tags:
    tecnologia, radar, aviação militar, aviação, A-100, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik