20:56 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos perto do sistema de defesa antimíssil Patriot

    EUA estão desprotegidos contra mísseis balísticos, revela general americano

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Defesa
    URL curta
    3201

    Os EUA não contam com proteção necessária contra mísseis balísticos intercontinentais de possíveis inimigos, escreve a revista The National Interest citando o chefe do Comando Estratégico do Pentágono, general John Hyten.

    Conforme Hyten, os EUA devem elaborar um sistema de combate contra mísseis russos e chineses antes mesmo do lançamento deles. Ele reparou que os potenciais adversários avançaram muito na criação de armas levando em consideração as particularidades do sistema de defesa antimíssil americano.

    "A quantidade de mísseis e suas capacidades de atingir alvos continuam crescendo, já que cada vez mais países adquirem um número maior de mísseis e aumentam potencial técnico especificamente para fazer frente ao sistema antimíssil dos EUA", afirmou Hyten.

    O general opina que o perigo dos mísseis modernos é tão grande que já não bastam tentativas ativas de interceptá-los. Ele assinalou que, após o colapso da União Soviética, os EUA não tinham ninguém para se opor, mas, hoje em dia, Washington não deve ignorar potencial militar reforçado de outros países.

    "Não podemos ser bem-sucedidos, investindo somente em meios ativos de defesa antimíssil — temos que reforçar e integrar todos os seus pilares, incluindo a capacidade de vencer mísseis inimigos antes mesmo de serem lançados", resumiu Hyten.

    Ao concluir, o autor do artigo nota que atualmente o Pentágono sabe melhor falar sobre êxitos militares do que repelir ataques reais de mísseis balísticos intercontinentais.

    Mais:

    'Novos jogos' dos EUA: especialista comenta ataque contra exército sírio
    EUA não reconhecem erros mesmo quando 'são pegos no flagra', opina analista
    EUA assinam contrato de US$ 130 milhões para produção de mísseis antitanque sem fio
    Tags:
    inimigo, míssil, defesa antiaérea, Pentágono, John Hyten, China, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik