16:05 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça F-16 prestes a decolar da base militar dinamarquesa Fighter Wing Skrydstrup, Jutlândia, 19 de março de 2011

    Dinamarca terá 'área de diversão' para caças F-35 da OTAN

    © AFP 2018 / Jesper Kristensen / SCANPIX DENMARK
    Defesa
    URL curta
    713

    Enquanto o prefeito local, que celebrou o acordo como "marco" propiciador de novos empregos e acelerador de crescimento, prometeu que os exercícios não afetariam os decibéis normais na área, apesar de os jatos F-35 possuírem histórico de alto nível de ruído, ceticismo sobre o projeto tem sido expresso.

    A empresa norte-americana de defesa Cubic Defense Systems publicou planos avançados para estabelecer um importante centro de treinamento e comando para todas as aeronaves de combate F-35 do norte da Europa e da Escandinávia, informou o jornal dinamarquês Jyllands-Posten.

    Segundo o chefe da Cubic, Mike Knowles, que em colaboração com o Departamento de Defesa dos EUA e o Pentágono é responsável pelo desenvolvimento de programas de treinamento para aeronaves de combate F-35, um acordo de cooperação já foi assinado com o município de Haderslev, localizado na região sul da Dinamarca. O novo centro de treinamento está previsto para ser instalado na base aérea de Skrydstrup, que atualmente abriga a frota envelhecida de F-16 que será substituída por 27 F-35 correspondentes a 20 bilhões de coroas dinamarquesas (cerca de R$ 12 bilhões).

    Aeronaves de combate e pilotos de vários países se reunirão em um ambiente de treinamento e simulação em Skrydstrup. A expectativa é que Skrydstrup acolha até 80 aviões de combate do Reino Unido, Holanda, Noruega, Polônia e de outros países — todos participando de exercícios aéreos avançados da OTAN sobre o mar do Norte.

    Segundo Knowles, o acordo gerará muitos empregos indiretos na Dinamarca. Além disso, a execução de uma instalação tão importante em solo dinamarquês impulsionará o país escandinavo para uma posição mais proeminente dentro da OTAN.  

    O prefeito de Haderslev, Hans Peter Geil, chamou o acordo de um "marco" que pode ajudar a abrir caminho para novos empregos e crescimento. Enquanto caças F-35, que também têm sido atingidos por custos excessivos, apresentam histórico altamente ruidoso, Geil prometeu aos moradores que os futuros lançamentos não afetariam o nível de ruído na área. O Ministério da Defesa dinamarquês salientou que o governo estava otimista em relação aos planos e prometeu que considerações ambientais seriam incluídas na versão final do acordo. 

    A ideia de um grande centro de treinamento pan-europeu F-35 foi saudada por Peter Viggo Jakobsen, especialista em defesa e professor da Academia de Defesa, que anteriormente expressou oposição ao projeto. 

    Por outro lado, Eva Flyvholm, porta-voz de Defesa da Aliança Vermelha e Verde, expressou ceticismo. 

    "Honestamente, acho difícil acreditar que [o centro de treinamento] não incomodará os cidadãos da costa oeste da Dinamarca quando, de um momento para outro, todas as frotas F-35 do norte da Europa sobrevoarem as águas dinamarquesas", alertou. 

    A Cubic tem 9 mil funcionários em todo o mundo e colabora com o Pentágono desde a Guerra do Vietnã.

    A Fighter Wing Skrydstrup é uma base aérea da Força Aérea Real Dinamarquesa situada no sul da Jutlândia. A partir de hoje, é o lar de 30 caças F-16 e de aeronaves de apoio. A base aérea possui três pistas que totalizam 3.500 metros e emprega cerca de mil pessoas. A base foi originalmente construída durante a ocupação alemã nazista na Dinamarca em 1943.

    Mais:

    Contra 'ameaça russa', Dinamarca investirá R$6,7 bi em gastos militares adicionais
    OTAN prepara exercícios militares no Mar Negro
    OTAN constata 'recuperação notável' do exército russo
    Tags:
    ruídos, treinamento, F-35, Departamento de Defesa dos EUA, OTAN, mar do Norte, Dinamarca
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik