03:17 13 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Avião comercial decolando com um drone em primeiro plano

    Drones kamikaze dos Marines norte-americanos são o futuro da guerra de artilharia?

    © AP Photo/ Bullit Marquez
    Defesa
    URL curta
    237

    Um escritório do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA opina que seria uma boa ideia enviar drones kamikaze de lançadores portáteis.

    Os Marines norte-americanos estão coletando informação e ideias para um sistema de alta tecnologia portátil que lance drones para equipar os fuzileiros navais com uma ferramenta capaz de efetuar missões de reconhecimento e atacar os inimigos à kamikaze.

    Na segunda-feira (23), o Corpo publicou um documento com pedido de informação para um sistema que ainda irá ser desenhado batizado de Organic Precision Fire (Fogo Orgânico de Precisão). O sistema de armas é essencialmente mais um componente de artilharia, mas com veículos aéreos não tripulados que podem mergulhar depois de apontar a um objeto do ar.

    Conhecido como "munições lentas", o serviço requer que os drones sejam capazes de ampliar o alcance da artilharia que supere o os 40 quilômetros do obus M777 Ultra Lightweight Field Howitzer. Em especial, o documento sublinha a exigência que o sistema atinja os alvos à distância de até 60 quilômetros.

    Até 18 de maio, as empresas podem submeter ao Corpo de Fuzileiros Navais as ideias sobre como construir, desenhar e demonstrar a plataforma Organic Precision Fire.

    Enquanto esse sistema futurístico de armas de drones se reveste de otimismo, é de assinalar que o documento dos Marines estipula que "este pedido de informação não constitui um pedido de propostas ou a existência de uma encomenda firme".

    Mais:

    Jato do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA cai no Djibuti
    Fuzileiros dos EUA são multados após confusão provocada por calote em bar na Romênia
    'Invasão' à americana: EUA posicionam navio de assalto anfíbio no Indo-Pacífico (VÍDEO)
    Tags:
    militares, kamikaze, drone, fuzileiros navais, Marinha dos EUA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik