20:49 21 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados chineses gritando slogans enquanto o presidente Xi Jinping inspeciona o Exército de Libertação Popular, em 30 de junho de 2017

    'Se quer paz, prepare-se para a guerra': analista comenta novo orçamento militar da China

    © AP Photo / Kin Cheung
    Defesa
    URL curta
    17373

    O aumento do orçamento militar chinês em 2018 reflete a reação de Pequim à situação na região Ásia-Pacífico, afirma Yuri Tavrovsky, especialista em estudos orientais, professor da Universidade da Amizade dos Povos (Moscou).

    De acordo com projeto de orçamento que recentemente virou público, os gastos da China aumentarão em 8,1%, para 175 bilhões de dólares (R$ 630 bilhões).

    Como Yuri Tavrovsky explicou para a Sputnik, este passo de Pequim é uma reação à situação que está sendo criada em torno da China na região Ásia-Pacífico.

    "O aumento dos gastos militares é uma reação bem realista ao que está acontecendo em torno da China nesta região", destacou.

    Segundo ele, na China vivem pessoas com "boa visão e audição", que ouvem e veem tudo que acontece, por exemplo, em Washington. Vale lembrar que, há pouco tempo, os EUA chamaram Moscou e Pequim de principais rivais estratégicos de Washington.

    Para Tavrovsky, os norte-americanos mantêm uma situação de alta tensão na península coreana e também tentam criar o assim chamado "quadrado" de quatro países — EUA, Japão, Austrália e Índia para conter a China na região, por onde são transportadas 90% das exportações e importações chinesas.

    "Tudo isso, claro, leva a China a agir. A famosa sabedoria diz que "se quer paz, prepare-se para a guerra". Acredito que aqui não tem nada de extraordinário. O aumento [do orçamento militar] não é assim tão grande. Ao mesmo tempo, isso deverá conter os concorrentes da China", explicou o professor.

    Ele também lembrou o assunto de Taiwan, destacando que nessa área crescem os ânimos separatistas. Tudo se complica com as declarações dos EUA sobre entregas de armas para Taiwan.

    Para o professor, um possível conflito na região pode começar não na península da Coreia, mas no estreio de Taiwan, e tal possibilidade preocupa os chineses.

    Os dados do orçamento de 2018 foram divulgados nesta segunda-feira, antes da abertura da sessão do 13º Congresso Nacional do Povo, no qual deverá ser discutido o valor, que corresponde, aproximadamente, a 175 bilhões de dólares (R$ 630 bilhões).

    Mais:

    China circula Taiwan com bombardeiros e caças
    EUA voltam a provocar China com venda de armas para Taiwan
    Confira três razões que justificam aumento do orçamento militar da China
    Tags:
    orçamento militar, aumento, Taiwan, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik