05:47 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Visitante do fórum EXÉRCITO 2016 examina uma metralhadora ligeira RPK-16 da empresa Kalashnikov

    Abertamente e sem vergonha: militares dos EUA planejam copiar armas russas

    © Sputnik/ Grigoriy Sisoev
    Defesa
    URL curta
    24522

    As metralhadoras russas são as melhores do mundo e as forças especiais dos EUA querem se apoderar delas a todo custo... copiando-as sem licença.

    "Por que as forças especiais dos EUA querem fabricar metralhadoras russas?", pergunta-se Michael Peck, analista militar norte-americano em artigo na revista The National Interest.

    "Bastaria assistir a “qualquer vídeo de um conflito como o do Iraque ou Síria e a resposta se torna clara", disse ele. "Muitos dos combatentes usam armas russas, soviéticas ou suas cópias, de fuzis e lança-foguetes a metralhadoras pesadas montadas em caminhonetes", acrescentou o analista.

    Segundo Peck, “quando as forças especiais dos EUA fornecem armas a alguns desses grupos eles têm que adquirir as armas russas em mercados internacionais de armamento”. O especialista sublinha que nessas circunstâncias os líderes do Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (USSOCOM) fazem com que as empresas arranjem um plano para produzir armas russas.

    Em outras palavras, os norte-americanos podem começar a produzir cópias de armas russas sem licença alguma ou através de simples roubos de propriedade intelectual, em termos jurídicos.

    Tanto o especialista da National Interest como o Comando de Operações Especiais dos EUA estão conscientes disso. Peck tenta explicar: "perguntam-se se pode haver problema de direitos intelectuais com a produção de armas russas nos EUA sem licença, embora espiões russos e chineses não estejam nem um pouco interessados em possuir tecnologia dos EUA."

    "De qualquer maneira, parece uma ideia sensata e econômica produzir armas estrangeiras nos EUA em vez de recorrer a elas através de comerciantes internacionais de armas", afirmou o analista.

    O objetivo que o USSOCOM estabeleceu perante as empresas nacionais é "desenvolver uma capacidade doméstica inovadora para produzir cópias em pleno funcionamento de armas de fabricação estrangeira que sejam iguais ou melhores do que as produzidas a nível internacional".

    Mais especificamente, o USSOCOM quer que as empresas dos EUA estudem viabilidade “da engenharia reversa ou do redesign e produção interna de armas estrangeiras, como uma metralhadora leve com calibre de 7,62 x 54R que seja parecida com a metralhadora Kalashnikov [PK-PKM], de design russo, e uma metralhadora pesada de 12,7 × 108 mm semelhante ao NSV [Nikitin, Sokolov, Volkov], de design russo".

    Mais:

    Em coletiva, Trump dispara metralhadora verborrágica, provoca México e critica CNN
    Chico Alencar – exclusivo: ‘Eduardo Cunha pode se transformar numa metralhadora giratória’
    Vem aí a 'metralhadora' da Odebrecht: delação promete atingir centenas de políticos
    Tags:
    defesa, propriedade intelectual, metralhadora, armamento, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik