04:01 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    122
    Nos siga no

    Os EUA, a Coreia do Sul e a Austrália começaram manobras navais conjuntas nas águas perto da ilha sul-coreana de Jeju.

    "O objetivo dessas manobras das Marinhas dos Estados aliados é impedir a entrada e saída de armas nucleares e outras armas de destruição em massa da Coreia do Norte", lê-se em um comunicado da Marinha da Coreia do Sul.

    Das manobras participam o destróier sul-coreano Sejong, dotado de mísseis inteligentes e do sistema de defesa antimíssil Aegis, o destróier norte-americano USS Chafee da classe Arleigh Burke, e as fragatas australianas HMAS Melbourne e HMAS Parramatta.

    Esses exercícios, que durarão dois dias, também deverão mobilizar os aviões de patrulha marítima P-3 e helicópteros MH-60.

    Os treinamentos são realizados na véspera da chegada do presidente dos EUA, Donald Trump, à Coreia do Sul. Prevê-se que tema principal da sua visita a Seul em 7 de novembro seja o problema da Coreia do Norte.

    A Coreia do Norte realizou este ano o sexto teste nuclear e uma série de testes de mísseis balísticos, incluindo o lançamento de dois supostos mísseis intercontinentais, capazes de alcançar o território dos EUA, e dois mísseis de alcance intermediário que sobrevoaram a ilha japonesa de Hokkaido.

    Pyongyang também ameaçou atacar com mísseis a ilha norte-americana de Guam, onde estão localizados os bombardeiros estratégicos B-1B Lancer dos EUA.

    Em 11 de setembro o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade o novo pacote das sanções contra a Coreia do Norte, que proíbe o país de exportar produtos têxteis e limita a quantidade de petróleo bruto e produtos petrolíferos refinados que podem ser importados.

    Mais:

    2 soldados israelenses morrem durante manobras militares no norte do país
    Tags:
    manobras navais, manobras, Aegis Ashore, Arleigh Burke, Donald Trump, Austrália, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar