07:22 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Radar

    Saiba que tecnologia avançada terá caça russo de 6ª geração

    © Sputnik / Mikhail Fomichev
    Defesa
    URL curta
    16332

    Um representante do consórcio KRET de tecnologias radioeletrônicas, Vladimir Mikheev, contou ao canal Zvezda como serão os produtos de radiofotônica criados pela empresa e que irão integrar os caças de sexta geração.

    O novo radar terá uma alta imunidade a interferências e poderá detectar aviões inimigos a longa distância, detalhou Mikheev, assessor do primeiro diretor-geral do consórcio. A Fundação de Estudos Avançados da Federação da Rússia encarregou a KRET de criar o chamado ROFAR, um conjunto de antenas radio óticas de fótons.

    "Uma antena assim dá ao equipamento novas capacidades: resistência a vários tipos de interferência e uma potência suficientemente alta", detalhou Mikheev.

    O representante do consórcio KRET também revelou que todas as capacidades do novo radar ficarão claras só dentro de um ano e meio, quando o sistema for submetido a testes reais. No entanto, já se pode dizer que será capaz de distinguir alvos escondidos e móveis, o que permite apontar as armas em tempo real com alta precisão.

    "Estamos às portas de um novo salto tecnológico que será possível graças à radiofotônica", disse Mikheev.

    Anteriormente havia sido informado de que o radar seria instalado nos caças de sexta geração desenvolvidos na Rússia.

    A fotônica atua como um análogo da eletrônica, usando fótons em vez de elétrons. Os sistemas fotônicos não são sensíveis a campos eletromagnéticos externos, e têm uma maior largura da área de transmissão do sinal.

    Mais:

    Opinião: acrobacia dos T-50 no show aéreo MAKS deixou todos pasmados
    MAKS 2017: melhores momentos das acrobacias aéreas no Salão Aeroespacial
    Caças Su-27 abatem 'inimigo' nos céus do Báltico
    Rússia exportará mais 10 caças Su-30 para Nigéria em 2018
    Tags:
    radar, avião, caça, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik