17:54 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Sistema de defesa antiaérea S-400

    Especialista sobre compra de S-400 pela Turquia: Rússia vende armas, mas não tecnologias

    © Sputnik / Mikhail Mokrushin
    Defesa
    URL curta
    5222

    Os EUA estão expressando preocupações com a compra pela Turquia do sistema de mísseis russo S-400, cujas capacidades superam as dos seus análogos ocidentais. Reagindo deste modo, os EUA estão praticando uma concorrência desleal, acredita o especialista militar Viktor Murakhovsky.

    Recentemente, o chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, Joseph Dunford, disse que a compra dos S-400 russos pela Turquia deveria preocupar Washington. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, por sua vez, afirmou na segunda-feira (24) que não vê razões para preocupação.

    O especialista militar e editor-chefe do jornal Arsenal Otechestva, Viktor Murakhovsky, acredita que os EUA estão preocupados principalmente por temer a concorrência.

    "Não é um segredo que a Rússia ocupa o segundo lugar depois dos EUA quanto ao volume de exportações de equipamento militar, tanto em termos de dinheiro como de quantidade. Além disso, se formou praticamente uma fila de países que querem comprar o sistema de mísseis S-400. Após utilizar tais sistemas de defesa antiaérea e conhecer suas caraterísticas, torna-se claro que eles superam seus análogos norte-americanos, como o Patriot, e da Europa Ocidental no que diz respeito às suas capacidades", afirmou o especialista.

    Viktor Murakhovsky frisou que "por sua relação custo-benefício o S-400 não tem concorrentes, por isso os norte-americanos não se acanham em criar obstáculos, inclusive a um nível tão alto. Como, por exemplo, promovendo seus sistemas de mísseis durante as visitas ao estrangeiro do presidente Donald Trump.

    O especialista ressaltou que a Rússia tem experiência de vender complexos e sistemas modernos de mísseis a um país-membro da OTAN, citando a Grécia, que comprou sistemas S-300 e Buk.
    Viktor Murakhovsky também comentou o possível risco de revelar segredos de produção.

    "Todos os equipamentos militares destinados à exportação são vendidos na assim chamada versão de exportação. São diferentes daqueles que recebem as Forças Armadas da Rússia. […] Do Ministério da defesa da Rússia faz parte o Serviço de Cooperação Técnico-Militar, que é responsável pelo controle das remessas ao exterior para não haver prejuízo para a segurança militar da Rússia", explicou.

    O editor-chefe tem certeza que as tecnologias de produção dos S-400 não serão vendidas à Turquia. "Para organizar a produção [dos S-400] no seu território [da Turquia], serão precisos dezenas de anos e centenas de bilhões de dólares", concluiu.

    O sistema de mísseis S-400 Triumf foi projetado para destruir com alta precisão aeronaves de aviação estratégica e tática, mísseis balísticos, alvos hipersônicos e outros meios de ataque aéreo em condições de guerra eletrônica e outras contramedidas. Por enquanto, a Rússia tem um acordo firmado para venda de S-400 apenas com a China. Além da Turquia, na compra desses sistemas também está interessada a Índia.

    Mais:

    EUA devem ficar preocupados com a compra dos sistemas de defesa aérea S-400 russos
    Por que venda de S-400 russos para Turquia causa frustração no Pentágono?
    Tags:
    concorrência, tecnologias, OTAN, Donald Trump, Viktor Murakhovsky, Grécia, EUA, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar