12:25 19 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Militares brasileiros em Missão de Paz da ONU

    Brasil pode assumir Missão de Paz da ONU no Líbano, país da ascendência de Temer

    Valter Campanato/ABr
    Defesa
    URL curta
    342794815

    Ao se encerrar a sua participação no Haiti, o Brasil pretende assumir uma nova Missão de Paz da ONU em algum outro país. A definição desta nova participação militar brasileira só deverá ocorrer no final deste mês de março, quando o Conselho de Segurança das Nações Unidas se reunir para debater o assunto.

    O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que o Brasil gostaria imensamente de participar de uma Missão de Paz no Líbano, país em que já comanda o destacamento naval da ONU. Porém, o Jungmann também não descarta a possibilidade de os militares brasileiros serem enviados à África para participar da Monusco, a Operação das Nações Unidas para Estabilização da República Democrática do Congo.

    Falando à Sputnik Brasil sobre a participação militar brasileira no exterior, o jornalista Pedro Paulo Rezende, especialista em questões de Defesa, afirma:

    "O Brasil participa de várias Missões de Paz ao redor do mundo. Há militares brasileiros em Missões de Paz em quase todos os continentes. Se não me engano, só na Ásia é que não há presença militar brasileira, mas até na Oceania temos tropas de paz integrando contingentes da ONU."

    Sobre a saída do destacamento brasileiro do Haiti, o especialista comenta que "o Haiti se encontra num momento de estabilidade. O país já começa a ter bases para sair da tutela das Nações Unidas e de prosseguir o seu caminho sozinho".

    Quanto ao interesse do Brasil pelo Líbano, Pedro Paulo Rezende diz que ele deve ser atribuído à enorme colônia de origem libanesa existente no país e que esta seria uma excelente oportunidade de o Governo Brasileiro demonstrar sua vontade de ter uma representação de paz em terras libanesas, tanto pela sua situação política quanto pelo fato de esse país assistir ao interminável conflito entre seu vizinho Israel e a organização extremista Hizbollah.

    Em relação ao fato de o próprio Presidente Michel Temer possuir ascendência libanesa, Rezende não considera este fato preponderante para o Brasil se habilitar, perante a ONU, a estar militarmente representado naquele país do Oriente Médio, em mais uma Missão de Paz.

    Além do Líbano e da República Democrática do Congo, dois outros países, ambos da África, despertam o interesse brasileiro: Libéria e Costa do Marfim. Contíguas ao Brasil pelo Atlântico Sul, Libéria e Costa do Marfim estão hoje sob o comando militar da Nigéria e da França, respectivamente.

    Consultado, o Ministério da Defesa, em resposta enviada à Sputnik por sua Assessoria de Comunicação, informa que a decisão vai "aguardar a reunião do Conselho das Nações Unidas prevista para o final do mês de março sobre a Missão de Paz no Haiti". 

    Tags:
    democracia, missões de paz, militares, Ministério da Defesa, ONU, Michel Temer, Pedro Paulo Rezende, Raul Jungmann, Israel, África, Nigéria, França, Congo, Líbano, Haiti, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik