21:42 15 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 61
    Nos siga no

    Uma esquadrilha naval da Frota do Pacífico da Rússia voltou à sua base permanente em Vladivostok, no Oceano Pacífico, após concluir com sucesso uma patrulha, na qual percorreu mais de 26.000 milhas náuticas e fez paradas em vários portos no Oceano Índico, informou nesta segunda (8) o porta-voz do Distrito Militar do leste da Rússia.

    "Nesta segunda-feira, na base da Frota do Pacífico em Vladivostok foi realizada uma cerimônia para receber o grupo naval, composto pelo navio antisubmarino Almirante Vinogradov, o navio de salvamento oceânico Foti Krilov e o petroleiro Irkut", disse o porta-voz da Frota do Pacífico, Vladimir Matveev.

    A cerimônia contou com a presença de representantes do comando naval e da administração da cidade, bem como parentes e amigos da tripulação, acrescentou ele.

    O porta-voz também afirmou que, durante os 136 dias da navegação, os três navios passaram mais de 26 milhas náuticas e visitaram vários portos estrangeiros.

    ​Em abril, o grupo naval participou das manobras internacionais Komodo 2016 e, como parte deste treinamento, esteve ancorado no porto de Padang, na Indonésia.

    No mesmo mês, os navios russos visitaram o porto cambojano de Sihanoukville.

    Eles também participaram nos treinamentos internacionais antiterrorismo SMOA-Plus, realizado em conjunto com as forças navais de países da Ásia-Pacífico, tendo aportado a Muara (Brunei) e à base naval de Changi (Singapura).

    Em maio os navios também visitaram o porto de Thilawa, na Birmânia.

    Mais:

    Mais de 100 navios da Frota do Norte da Rússia realizam exercícios navais
    Rússia colocará em ordem a Frota do Báltico
    Rússia festeja Dia da Frota do Norte
    Rússia lidera a exploração do Ártico, de acordo com o Estado Maior da Frota do Norte
    Tags:
    Rússia, Índia, Brunei, Singapura, Indonésia, Vladivostok, Birmânia, treinamento militar, frota, navegação, navio, salvamento, petroleiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar