17:02 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    submarino chinês

    Publicada primeira imagem do submarino secreto chinês

    © flickr.com/ US Navy Page
    Defesa
    URL curta
    154611314

    Um usuário do fórum chinês popular Top81 publicou uma fotografia do suposto submarino nuclear da classe 093, amarrado para manutenção em um porto desconhecido.

    A revista britânica IHS Jane e norte-americana Popular Science dedicaram dois artigos sobre as vantagens e desvantagens do projeto.

    Os britânicos identificaram que o submarino tem certas modificações em comparação com os dois primeiros aparelhos lançados entre 2006 e 2007.

    A IHS Jane adicionou que este submarino pode transportar uma doca seca removível. Este dispositivo facilitaria o desembarque das tropas enquanto a unidade está submersa. Por sua vez, a Popular Science acrescenta que também pode servir para implantar robôs de combate.

    Os especialistas norte-americanos também foram capazes de discernir por trás da torre de comando um lançador de mísseis vertical. Anteriormente fora comunicado que a versão modificada do submarino 093 pode transportar mísseis de cruzeiro antinavio YJ-18 e uma versão naval do míssil de longo alcance DF-10, ambos de lançamento vertical. No entanto, os analistas britânicos não viram qualquer silo na foto.

    Além disso, a Popular Science enfatiza que os torpedos, mortíferos até para os porta-aviões, são inseridos nas cápsulas na frente do submarino de uma maneira antiquada. A fotografia mostra que vários marinheiros cumprem este trabalho com a ajuda de um guindaste.

    ​Pela primeira vez, um canal televisivo chinês mostrou imagens de satélite de três submarinos 093 atracados em um porto em abril de 2015.

    Mais:

    China inaugura primeira Reserva de Céu Escuro para observações
    Computador mais sofisticado é de novo chinês
    Submarino americano da Segunda Guerra Mundial é encontrado nas Curilas russas
    Tags:
    submarino nuclear, submarino, Defesa, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik