23:46 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    8029
    Nos siga no

    Após dar garantias de que os Estados Unidos estão prontos para agir no mar do Sul da China se necessário, o novo comandante americano da Flotilha do Pacífico passou o fim de semana a bordo de um polêmico avião de espionagem, conhecendo o disputado pedaço de oceano.

    Em fevereiro, o Pentágono começou o lançamento de seu avião de espionagem P-8A Poseidon, baseado em bases militares nas Filipinas. A aeronave de reconhecimento mais avançada do Pentágono é capaz de combater tanto submarinos quanto embarcações na superfície.

    As operações americanas de monitoramento no mar do Sul da China incomodou o governo chinês. A porta-voz do Ministério de Reçaões Exteriores solicitou publicamente que os Estados Unidos "continuassem racionais" e cessassem "atos mal planejados."

    Washington, entretanto, não demonstrou intenção de reduzir suas operações de monitoramento na região. No sábado, o novo comandante da Flotilha do Pacífico, almirante Scott Swift, embarcou pessoalmente em um voo de 7h de monitoramento sobre o mar do Sul da China.

    De acordo o capitão da Marinha americana Charlie Brown, relações-públicas da Flotilha do Pacífico, Swift ficou "satisfeito com as qualidades do Poseidon."

    Almirante Swift observa operações a bordo do P-8A Poseidon.
    © flickr.com / U.S. Pacific Fleet
    Almirante Swift observa operações a bordo do P-8A Poseidon.

    Pequim alega ter direito à maior parte do mar do Sul da China, mas há alegações semelhantes de Indonésia, Filipinas, Brunei, Malásia, Cingapura, Taiwan e Vietnã. Cerca de US$ 5 trilhões em bens comerciais são transportados pelo mar anualmente.

    Apesar de os Estados Unidos não terem direitos territoriais na região, Washington já manifestou seguidas vezes sua preocupação com a construção de ilhas artificiais por parte da China no arquipélago Spratly. Enquanto o governo chinês declarou várias vezes a Washington que as ilhas foram construídas para fins principalmente humanitários, os EUA encorajaram seus aliados do Pacífico a exercerem pressão militar sobre a China e aumentarem exercícios militares conjuntos com parceiros regionais.

    Em maio, um avião Poseidon entrou na zona de alerta militar da China ao sobrevoar ilhas de Pequim e recebeu oito avisos antes de mudar de rota e deixar a região. O voo foi considerado "comportamento provocativo" pelo Ministério de Relações Exteriores, já que a China acreditava que o avião estava recolhendo inteligência sobre a construção das ilhas.

    "Liberdade de navegação e voo não significa que navios e aviões estrangeiros podem ignorar os direitos legítimos de outros países e colocar em perigo viagens por mar e ar", disse a porta-voz do ministério, Hua Chunying, aos jornalistas na ocasião.

    Mais:

    Opinião: EUA fizeram acordo com Irã para se concentrar na Rússia e China
    China inicia montagem do maior hidroavião do mundo
    China protesta contra reparação de navio militar filipino no Mar do Sul da China
    Tags:
    Mar do Sul da China, voos, espionagem, P-8A Poseidon, Flotilha do Pacífico, Pentágono, Taylor Swift, Mar do Sul da China, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar