20:21 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Sevastopol e Vladivostok, os dois navios da classe Mistral encomendados pela Rússia

    Político francês: é preciso entregar Mistral à Rússia o mais breve possível

    © AFP 2017/ EAN-SEBASTIEN EVRARD
    Defesa
    URL curta
    0 205

    Agora a situação é mais favorável para cumprir o mais cedo possível o contrato de fornecimento de navios porta-helicópteros tipo Mistral à Rússia, opina em entrevista à Sputnik o líder do partido Levantar a República (Debout la France), Nicolas Dupont-Aignan.

    “Se fosse eu, entregava já os Mistral. Considero como um erro a decisão de não fornecer o primeiro navio. Apesar disso, na minha opinião é preciso levantar as sanções contra a Rússia agora mesmo, altura em que a situação na Ucrânia está se acalmando. É preciso fornecer os navios de tipo Mistral o mais breve possível”, disse Nicolas Dupont-Aignan, esperando que a questão seja resolvida até o verão.

    A Rosoboronexport e os estaleiros navais franceses DCNS assinaram o contrato para a construção de dois porta-helicópteros em junho de 2011. O valor do contrato é 1,2 bilhões de euros.

    A França deveria ter sido entregado o primeiro navio de desembarque Vladivostok em14 novembro de 2014. O segundo navio deverá ser entregado até o final de 2015.

    Mais cedo o presidente francês, François Hollande, disse que decidiu suspender a entrega do primeiro dos navios (Vladivostok) por causa da situação na Ucrânia. Por sua vez, a Rússia declarou que está à espera do navio ou da restituição do dinheiro.

    A Rússia está à espera dos navios ou do retorno do dinheiro.

    Atualmente os Estados Unidos estão contra a entrega dos navios. Paris, por um lado, alegou que deve executar o contrato com a Rússia, e, por outro –relaciona a entrega dos navios com o progresso na resolução da situação na Ucrânia.

    Um fonte de Sputnik na indústria naval comentou que os EUA propuseram aos estaleiros DCNS construir um avião civil norte-americano.

    Tags:
    Marinha, contrato, Mistral, Rússia, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik