14:22 27 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Uma jovem oriental (imagem ilustativa)

    Escravidão sexual já foi legalmente permitida há 4.000 anos (FOTO)

    CC0 / xusenru / Uma jovem oriental
    Cultura
    URL curta
    4110

    Esse pacto antenupcial permitia os homens ter uma escrava sexual, mas só sob certas condições. Confira quais são!

    Os arqueólogos encontraram na cidade turca de Kayseri um dos pactos antenupciais mais antigos do mundo, datado de há 4.000 anos, da época da Assíria. A Assíria foi um reino muito poderoso no norte da Mesopotâmia.

    ​A primeira referência escrita à infertilidade, de há 4.000 anos, é encontrada na Turquia

    O pacto representa uma placa de argila coberta com escrita cuneiforme. Segundo o texto da inscrição, o marido tinha o direito de adquirir uma escrava para concepção, caso de o casal não conseguisse ter filhos durante dois anos. Tal medida deveria ser tomada para que a família não fosse deixada sem herdeiro. Além disso, a escrava deveria ser libertada depois de dar luz a um bebê do sexo masculino, informa o Daily Sabah.

    O professor Ahmet Berkız Turp, da Universidad de Harran, está seguro que essa descoberta é a primeira prova documental da infertilidade.

    Atualmente o artefato encontra-se no Museu Arqueológico de Istambul.

    Mais:

    Princesa russa em terras longínquas: a última da Casa Romanov que morreu no Uruguai
    Um desenho de carvão encontrado na França pode se revelar uma valiosíssima peça de arte
    Primeiros colonos da América? Esqueleto de 13.000 anos é encontrado no México
    Ossos insólitos provam rituais de canibalismo ter sido realizados na antiga Grã-Bretanha
    Tags:
    masculino, bebê, escrava sexual, escravidão sexual, casal, pacto, encontro, descoberta, Istambul, Mesopotâmia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik