21:23 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Momento da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 1964

    Japão dos anos 60 é atração no Rio reunindo arte, cinema e música com os Jogos Olímpicos

    AP
    Cultura
    URL curta
    Geórgia Cristhine
    0 45520

    Depois do Brasil, o Japão vai ser pela segunda vez a sede dos Jogos Olímpicos em 2020. A primeira aconteceu Tokyo, em 1964. Para celebrar essa trajetória, a Fundação Japão, promove no Rio de Janeiro o festival "Da Era Moderna à Atualidade", em três eventos culturais mostrando a arte do Japão na década de 1960 no contexto olímpico.

    A Fundação Japão, que é uma organização vinculada ao Ministério das Relações Exteriores do Japão, está promovendo com apoio do Consulado do Japão, três projetos culturais no Rio, em artes plásticas, cinema e música, em espaços do Centro da Cidade, como o Paço Imperial, o Centro Cultural Banco do Brasil e a casa de shows Vivo Rio.

    Em entrevista exclusiva para a Sputnik, a Assessora Cultural da Fundação Japão, Melissa Yabuki explicou que com toda a expectativa no Brasil para os Jogos Rio 2016, o evento serve como uma passagem de bastão para o Japão, onde Tokyo será a próxima sede dos Jogos em 2020.

    "Nós queremos mostrar um pouco do espírito japonês, e fortalecer ainda mais as relações de amizade entre Brasil e Japão. Nós queremos mostrar essa manifestação artística em uma época de grandes mudanças que foi entre as décadas de 1950 e 1970, quando foi o primeiro Jogos Olímpicos de Tókio, de 1964. Esses três projetos mostram um pouco essa manifestação naquela época do Japão de grandes mudanças econômicas e também de grandes transformações culturais."

    De acordo com Melissa Yabuki, o primeiro projeto começou nesta quinta-feira (14) e vai até 28 de agosto, com entrada gratuita, no Paço Imperial, no Centro do Rio, com a abertura da Exposição "A Emergência do Contemporâneo: a Vanguarda no Japão, 1950 – 1970". Uma mostra inédita no Brasil, de arta de vanguarda japonesa que traz 70 obras produzidas ao longo de 20 anos por artistas japoneses, como Kazuo Shiraga, Sadamasa Motonaga, Atsuko Tanaka, Genpei Akasegawa, Jiro Takamatsu, Natsuyuki Nakanishi, Arata Isozaki, Yoko Ono, Yutaka Matsuzawa e Kishio Suga.  

    A segunda intervenção cultural do Japão no Rio, começa no dia 27 de julho e vai até 1 de agosto, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), e será a Mostra de Cinema Japonês – Especial Ko Nakahira, também apresentada pela primeira vez no Brasil. O festival reúne oito longas-metragens de Ko Nakahira, um dos principais cineastas atuantes no período dos Jogos Olímpicos de 1964, onde sua obra se destaca pelo andamento dinâmico e técnicas cinematográficas diversas.

    O terceiro evento, acontece nos dias 29 e 30 de julho, no Vivo Rio, com a apresentação do "Concerto POP: Olha pro Céu – Look at the Sky", que segundo Melissa Yabuki, será uma produção conjunta entre Brasil e Japão, unindo os dois países, com a participação de grandes nomes da música japonesa e brasileira, Como Vanessa da Mata, Tokyo Ska Paradise Orchestra e Marcia, e participação de Emicida.

    Em tempos Olímpicos, a assessora cultural da Fundação Japão explicou, que a proposta do evento é passar a mensagem de esperança e solidariedade entre os dois países. "Principalmente essa questão de uma mensagem de esperança e solidariedade. O Concerto Pop, por exemplo, nós estamos reunindo artistas brasileiros e japoneses, para ter esse intercâmbio e também mostrar a mensagem de esperança através de uma música principal, que é o Sukiyaki — Olha para o Céu, (canção japonesa que conquistou o mundo nos jogos em 1964), que é uma das mensagens que queremos passar, principalmente agora nos Jogos Olímpicos para criar muito mais esse laço de amizade entre Brasil e Japão."

    Tags:
    música, exposição, Cinema, arte, Consulado do Japão, Fundação Japão, Marcia, Tokyo Ska Paradise Orchestra, Emicida, vanessa da mata, Brasil, Japão, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik