18:13 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 51
    Nos siga no

    Um fóssil de mandíbula revelou a existência de um novo dinossauro carnívoro gigante de 90 milhões de anos.

    Os paleontólogos identificaram uma nova espécie na história dos dinossauros carnívoros, maiores que os Tyrannosaurus, com dentes em forma de lâminas. Estes predadores, chamados Carcharodontosaurus, eram "lagartos com dentes de tubarão", segundo publicação da revista Royal Society Open Science.

    Um osso encontrado em uma rocha de 90 milhões de anos no Uzbequistão pertenceria a um exemplar desse dinossauro, de aproximadamente nove metros de comprimento. Estes dinossauros carnívoros precederam os tiranossauros como principais predadores.

    O paleontólogo Kohei Tanaka, da Universidade de Tsukuba e a paleontóloga Darla Zelenitsky, da Universidade de Calgary, identificaram a espécie como Ulughbegsaurus uzbekistanensis.

    O dinossauro foi identificado pelo osso da mandíbula superior, descoberto no deserto de Kyzyl Kum, na formação Bissekty do Cretáceo Superior.

    Os detalhes anatômicos do osso indicam que ele pertencia ao maior predador de seu ambiente.

    A nova descoberta é a manifestação mais antiga de carnívoros em um período pouco conhecido, antes do surgimento dos tiranossauros, afirmam os paleontólogos.

    Os especialistas tentam compreender o que aconteceu na parte do Cretáceo entre 80 e 125 milhões de anos, pois a consideram um período de tempo de mudanças significativas.

    Neste período, os carcarodontossauros do Hemisfério Norte deixaram de ser os principais predadores; em sua ausência, os tiranossauros começaram a crescer cada vez mais.

    Até o momento, os especialistas não sabem o motivo pelo qual a espécie deixou de ser dominante no Hemisfério Norte.

    "Não sabemos por que estes dinossauros perderam seu lugar como principais predadores, talvez isso tenha estado relacionado com as mudanças ambientais, que teriam alterado as comunidades de dinossauros herbívoros nesta janela de tempo ou ao redor dela", observou Zelenitsky.

    Os especialistas concluem que é necessário mais fósseis para pesquisar mais a fundo, para rastrear como um grupo de impressionantes carnívoros cedeu a etapa evolutiva para seus sucessores.

    Mais:

    Descoberta de fóssil de espécie humana antiga aponta para peculiar processo evolutivo (FOTOS)
    Cientistas descobrem por acaso fóssil raro de 2 milhões de anos na Tanzânia (FOTO)
    Tesouro fóssil com 17 novas espécies marinhas é descoberto na China (FOTO)
    Tags:
    dinossauro, descoberta, fóssil, arqueologia, estudo, Uzbequistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar