21:56 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 90
    Nos siga no

    Desde a descoberta dos Manuscritos do mar Morto em cavernas de Qumran, uma das descobertas arqueológicas mais importantes nos tempos modernos, o local tem sido estudado e examinado por especialistas, que têm tido dificuldade em explicar os mistérios que envolvem a região.

    Ainda existem muitas questões a serem respondidas sobre Qumran, se era um forte, uma habitação ou um centro de comércio, quem lá viveu e quantas pessoas o habitavam, uma vez que os vestígios encontrados não são conclusivos.

    Uma cerimônia antiga descrita na Cairo Genizah, uma coleção de manuscritos judeus antigos descobertos na capital egípcia no século XIX, poderá ajudar a entender os mistérios de Qumran, aponta o dr. Daniel Vainstub, da Universidade de Ben-Gurion e do Museu de Israel.

    Pedaço dos Manuscritos do Mar Morto, encontrado no sítio arqueológico de Qumran
    © AP Photo / RON WURZER
    Pedaço dos Manuscritos do Mar Morto, encontrado no sítio arqueológico de Qumran
    "E todos [os habitantes] dos campos se reunirão no terceiro mês e amaldiçoarão qualquer um que se mova ou para a direita [ou para a esquerda da] Torá [livro sagrado do Judaísmo]", escreveu o pesquisador em seu estudo.

    Segundo Vainstub, a reunião descrita acontecia no que hoje é o misterioso sítio arqueológico.

    "O local de Qumran, com suas instalações, grutas e superfícies, está em concordância com as evidências do encontro anual que aparece nos pergaminhos. Nenhum outro local conhecido é adequado para tal fim", explicou o dr. Vainstub.

    Dois homens contemplam as ruínas de Qumran, descobertas em 1947, na margem noroeste do mar Morto, na Jordânia, em 14 de janeiro de 1957
    © AP Photo
    Dois homens contemplam as ruínas de Qumran, descobertas em 1947, na margem noroeste do mar Morto, na Jordânia, em 14 de janeiro de 1957
    A hipótese apresentada pelo pesquisador apresenta explicações para vários mistérios, tais como a ausência de habitações privadas no meio de vários edifícios públicos. Vainstub afirma que o pequeno grupo de pessoas que habitava em Qumran preparava o local todos os anos para um grandioso evento que reunia milhares de pessoas. Os peregrinos que chegavam de longe para a cerimônia dormiriam fora do local ou em tendas.

    O especialista sugere ainda que Qumran foi construído especialmente para imensas reuniões anuais, das quais provavelmente participavam membros do grupo de judeus essênios.

    Mais:

    Pichação em Padrão dos Descobrimentos: fruto de interpretação simplista da História, diz historiador
    Arqueólogo descobre buquês de flores milenares em base de templo em antiga cidade do México (FOTO)
    Raro embrião de tartaruga gigante pré-histórica é encontrado em ovo fossilizado
    Tags:
    manuscritos do Mar Morto, Oriente Médio, Jordânia, História, arqueologia, sítio arqueológico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar