00:16 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 57
    Nos siga no

    O rover Perseverance da NASA tinha a ambiciosa missão de coletar sua primeira amostra de solo marciano, contudo, mesmo tendo perfurado com êxito a superfície do Planeta Vermelho, o tubo de amostras estava vazio.

    Os engenheiros da NASA parecem ter descoberto o motivo. Ao examinar o caso, eles concluíram que a rocha marciana simplesmente não era suficientemente sólida para retirar uma amostra.

    Em vez disso, os fragmentos, provavelmente presos no buraco após a perfuração, acabaram ficando para trás nos cortes, ou em ambos. Agora, a sonda está em busca de um lugar mais adequado para coletar as amostras. Espera-se que chegue ao próximo local de perfuração no início de setembro.

    "O equipamento teve o desempenho esperado, porém nesta ocasião a rocha não cooperou", afirmou nesta quarta-feira (11) a diretora de engenharia da missão, Louise Jandura.

    A pesquisadora observa que o incidente recorda "como é a natureza da exploração", pois "um resultado específico nunca está garantido, independentemente do quanto esteja preparado".

    A NASA prevê coletar aproximadamente 35 amostras e enviá-las à Terra para serem estudadas. O processo poderia durar até dez anos.

    Esta não é a primeira vez que uma sonda sofre problemas técnicos na hora de coletar amostras em Marte. Em janeiro de 2021, a perfuradora da missão InSight não conseguiu perfurar a superfície do Planeta Vermelho por quase dois anos por não ter aderência suficiente com a superfície, fazendo os cientistas desistir do projeto.

    Mais:

    NASA publica FOTOS de helicóptero que fez com êxito seu 7º voo em Marte
    Novo estudo sugere que Marte teria dezenas de lagos subterrâneos (FOTOS)
    Em busca de vida: astrônomos da NASA descobrem 'ciclo de vida' de metano em Marte
    Tags:
    Marte, rover, Planeta Vermelho, mistério, superfície, estudo, NASA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar