23:16 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0190
    Nos siga no

    Arqueólogos "amadores" ajudaram a encontrar indícios de vida há 8.000 anos no mar do Norte, uma ideia teorizada no Reino Unido desde o séc. XIX, escreveu o jornal The Guardian.

    Uma exposição com mais de 200 objetos deu uma visão da vasta faixa de território conhecida como Doggerland, que costumava ligar o Reino Unido por terra à Bélgica, Países Baixos e o sul da Escandinávia, mas que atualmente repousa sob o mar do Norte após ter ficado submersa há cerca de 8.200 anos, relatou no domingo (1º) o jornal The Guardian.

    A exposição é chamada "Doggerland: Mundo Perdido no Mar do Norte", e está sendo apresentada no Museu Nacional de Antiguidades em Leiden, Países Baixos.

    Os objetos exibidos na exposição incluem itens como um osso de veado com uma ponta de flecha embutida, restos fossilizados de fezes de hienas, molares de mamutes e o fragmento de um crânio de um jovem macho neandertal.

    A coleção foi acumulada em grande parte devido aos esforços de arqueólogos voluntários, segundo o The Guardian, podendo ser visualizada virtualmente no YouTube.

    "Temos uma maravilhosa comunidade de arqueólogos amadores que quase diariamente percorrem estas praias e procuram os fósseis e artefatos, e trabalhamos com eles para analisá-los e estudá-los", comentou a dra. Sasja van der Vaart-Verschoof, curadora assistente do Departamento de Pré-história do Museu Nacional de Antiguidades.

    "Está aberto a todos, e qualquer um poderia encontrar um machado de mão, por exemplo. Praticamente todo o conjunto de ferramentas que teria sido usado foi encontrado por arqueólogos amadores", disse ela.

    O nome Doggerland foi cunhado nos anos 1990 por Bryony Coles, arqueólogo da Universidade de Exeter, Reino Unido, em honra ao Banco Dogger, um banco de areia no mar do Norte, ao largo da costa leste do território britânico.

    ​Doggerland...

    Observando que a ideia de uma "Atlântida perdida" sob o mar do Norte que costumava ligar o Reino Unido à Europa continental foi imaginada já no final do século XIX por H.G. Wells, "acredita-se que [o pedaço de terra em questão] tenha sido submerso há cerca de 8.200 anos após um enorme tsunami", afirmou o jornal.

    "Houve um período em que Doggerland estava seco e incrivelmente rico, um lugar maravilhoso para caçadores-coletores", comentou van der Vaart-Verschoof.

    "Não era uma ponta da terra, nem uma ponte terrestre para o Reino Unido. Era realmente o coração da Europa. Há lições a serem aprendidas. A história de Doggerland mostra como a mudança climática pode ser destrutiva. A mudança climática que vemos hoje é feita pelo homem, mas os efeitos podem ser tão devastadores quanto as mudanças vistas em todos aqueles anos atrás."

    Mais:

    Lagartos e marsupiais gigantes: quem dividia Austrália com humanos há 60.000 anos? (FOTO)
    Esta geleira da Antártica inquieta pesquisadores (FOTO)
    Marcahuasi: vestígios de uma civilização perdida ou apenas formação rochosa no Peru? (FOTOS)
    Tags:
    Atlântida, Reino Unido, Inglaterra, Europa, mar do Norte, Museu Nacional, Países Baixos, The Guardian, YouTube, Bélgica, Escandinávia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar