02:41 22 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de julho de 2021 (25)
    0 90
    Nos siga no

    Os pesquisadores explicam que se o vírus do novo coronavírus permanecer no organismo por muito tempo ele é capaz de acumular as alterações em sua estrutura genética para escapar da resposta imune.

    Cientistas russos detectaram mutações que permitem ao vírus SARS-CoV-2 escapar da imunidade celular, informou o Instituto de Ciência e Tecnologia Skolkovo (Skoltech, na sigla em inglês). Os resultados do estudo (ainda não revisto por pares) foram divulgados na quarta-feira (30) no repositório Research Square.

    Os pesquisadores estudaram o caso mais antigo conhecido de COVID-19 em uma paciente com imunidade reduzida que estava doente há 318 dias, o que eles acreditam ser um recorde mundial.

    "Embora este seja o caso descrito mais longo, não é o único. Mas, em nosso caso, há uma característica notável: a paciente não tinha anticorpos […]. A investigação tornou possível detectar as mutações que ajudam o SARS-CoV-2 a contornar a imunidade celular", explicam os cientistas.

    Ao mesmo tempo, os pesquisadores ressaltaram que a análise filogenética e o sequenciamento genômico das amostras obtidas da paciente mostraram que ela estava infectada o tempo todo com o mesmo vírus. Nesse período, o SARS-CoV-2 adquiriu um total de 40 mutações, mudando muito mais rápido do que costuma acontecer quando se espalha por uma população.

    O centro de inovação russo Skolkovo
    © flickr.com / Fundação Skolkovo
    O centro de inovação russo Skolkovo

    Os pesquisadores do Skoltech explicam que se o vírus permanecer no organismo por muito tempo, é capaz de acumular as alterações em sua estrutura genética para escapar da resposta imune, o que transforma pacientes com baixa resistência imunológica em locais de rápida evolução do patógeno.

    Dessa forma, os cientistas concluíram que as células T são um motor subestimado e potencialmente poderoso da evolução da COVID-19 em pessoas com imunidade reduzida.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de julho de 2021 (25)

    Mais:

    Cientistas descobrem quais animais são mais vulneráveis ​​à COVID-19
    Virologista revela nova função potencial das vacinas anti-COVID-19
    Índia registra aumento de 100% nas reclamações sobre queda de cabelo por pacientes com COVID-19
    COVID-19: Portugal libera circulação sem horário, restaurantes até 2h e público em estádios; entenda
    Tags:
    COVID-19, novo coronavírus, pandemia, SARS-CoV-19, Rússia, pacientes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar