09:07 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 150
    Nos siga no

    A descoberta do navio romano, provavelmente do século II a.C., foi descrita por autoridades locais na Itália como um dos achados arqueológicos mais importantes que foram feitos nos últimos anos.

    Remanescentes de um antigo navio romano que aparentemente transportava uma carga de vinho foram descobertos ao largo da costa da Sicília, perto da capital da ilha, Palermo, informa na quarta-feira (28) o jornal The Guardian.

    O naufrágio de um navio romano do século II a.C., transportando uma grande carga de ânforas Dressel 1A, foi encontrado a 92 metros de profundidade ao largo de Isola delle Femmine, na Sicília.

    Segundo o The Guardian, o naufrágio está localizado a uma profundidade de cerca de 92 metros e está carregado de ânforas de vinho.

    "O Mediterrâneo nos dá continuamente elementos preciosos para a reconstrução de nossa história ligados ao comércio marítimo, os tipos de barcos, o transporte realizado", disse Valeria Li Vigni, superintendente do mar da região siciliana, e a pessoa que lançou a expedição que deu origem a esta tremenda descoberta.

    "Agora saberemos mais sobre a vida a bordo e as relações entre as populações costeiras", relatou.

    As autoridades sicilianas explicaram que este foi um dos achados arqueológicos mais importantes que foram feitos nos últimos anos, que deverá "lançar luz sobre a atividade comercial de Roma no Mediterrâneo, onde os romanos comercializavam especiarias, vinho, azeitonas e outros produtos no norte da África, Espanha, França e Oriente Médio".

    Como observa o diário, os arqueólogos sicilianos fizeram uma descoberta semelhante há várias semanas, quando localizaram outro antigo navio romano a cerca de 70 metros abaixo do mar, perto da ilha de Ustica, a cerca de 52 km da Sicília. O navio também transportava uma remessa de ânforas que continha "vinho que remontava ao século II a.C.".

    Centenas de ânforas romanas antigas são encontradas todos os anos em casas de negociantes de arte na Itália, escreve a mídia.

    Mais:

    Destroços descobertos em Antígua poderiam pertencer a navio usado na Revolução Americana (FOTOS)
    'Tesouro' visível: chuva revela navio centenário nas areias de praia australiana (FOTOS)
    Esqueletos de piratas de naufrágio de 1717 são encontrados nos EUA (FOTO)
    Tags:
    Sicília, Itália, The Guardian, Palermo, Twitter, Mediterrâneo, Império Romano, Roma, África, Espanha, França, Oriente Médio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar