12:38 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    360
    Nos siga no

    A galáxia NGC 1052-DF2, ou somente galáxia DF2, fica cada vez mais misteriosa a cada nova imagem revelada, graças ao telescópio espacial Hubble.

    No entanto, dessa vez, quando os astrônomos observavam a galáxia notaram que havia algo importante faltando – a matéria escura, o material principal que consegue "grudar" os corpos celestes, segundo o jornal India Today.

    Observada através do movimento das estrelas, a matéria escura constitui cerca de 80% do Universo, sendo que vários cálculos astronômicos confirmaram, de fato, sua existência.

    Porém, um estudo foi publicado no volume de junho da revista The Astrophysical Journal Letters. Neste, baseado em 40 órbitas conduzidas pelo telescópio Hubble da NASA, se conclui que a galáxia "transparente" está perdendo matéria escura.

    Os cientistas observaram imagens capturadas pelo Hubble e descobriram que as estrelas antigas dentro da galáxia DF2 estão tão dispersas que até galáxias distantes podem ser vistas através da galáxia.

    Imagem da galáxia NGC 1052-DF2, capturada pelo telescópio espacial Hubble da NASA
    © AP Photo / Pieter van Dokkum
    Imagem da galáxia NGC 1052-DF2, capturada pelo telescópio espacial Hubble da NASA

    Os astrônomos observaram os movimentos das estrelas dentro da galáxia, cujas velocidades dependem da atração gravitacional. Eles se focaram nas estrelas gigantes vermelhas envelhecidas nos arredores da galáxia de modo a calcular as vastas distâncias intergalácticas através do estudo de seu brilho.

    A medição da distância entre a Terra e a galáxia DF2 é a base para estimar a quantidade de sua matéria escura. Os astrônomos observaram que a galáxia estava muito mais distante do que suas estimativas iniciais. As novas estimativas colocam a DF2 a 72 milhões de anos-luz da Terra, em oposição aos 42 milhões de anos-luz propostos anteriormente.

    Embora os astrônomos tenham concluído que a galáxia carece de matéria escura, eles ainda não determinaram a razão por trás disso.

    Deste modo, os pesquisadores procuram mais galáxias com uma natureza semelhante na vastidão do Universo para entender por que algumas galáxias não possuem os níveis críticos de matéria escura e, consequentemente, como conseguem se manter unidas.

    Mais:

    Observatório na China encontra 'universo de energia ultra-alta' na Via Láctea
    Rover chinês em Marte é avistado do espaço por orbitador da NASA (FOTOS)
    Hubble capta IMAGEM incrível de redemoinho galáctico no vasto Universo
    Tags:
    astronomia, matéria escura, Hubble, NASA, Universo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar