02:42 09 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Durante o eclipse solar total, observado na América do Sul pelo Chile e pela Argentina, no dia 14 de dezembro, uma pequena partícula estava voando além do Sol sem que os astrônomos soubessem.

    O cometa, denominado C/2020 X3 (SOHO) pelo Minor Planet Center (MPC, na sigla em inglês), foi avistado pela primeira vez no dia 13 de dezembro pelo astrônomo Worachate Boonplod, um dia antes de o eclipse solar acontecer, segundo a NASA.

    Boonplod sabia que o cometa estava se aproximando do eclipse e estava ansioso para descobrir se o mesmo apareceria na atmosfera exterior do Sol, como uma pequena mancha nas fotos do eclipse.

    ​O "novo" cometa C/2020 X3! Enquanto o Chile e a Argentina testemunhavam o eclipse solar total no dia 14 de dezembro de 2020, sem o conhecimento dos astrônomos, uma pequena partícula passou voando pelo Sol, um cometa recém-descoberto.

    O corpo celeste foi denominado de cometa rasante Kreutz, ou seja, uma família de cometas originados a partir de um grande cometa-pai, que foi rompido em pequenos pedaços há mais de mil anos, e continuava orbitando em torno do Sol.

    No momento em que foi flagrado, estima-se que o cometa estava viajando em torno de 700.000 quilômetros por hora, aproximadamente quatro milhões de quilômetros da superfície do Sol.

    O cometa, de cerca de 17 metros de diâmetro, desintegrou-se em partículas de poeira devido à intensa radiação solar, momentos antes de chegar ao ponto mais próximo do Sol.

    Mais:

    Maior telescópio solar libera a 1ª imagem detalhada de mancha na superfície do Sol (VÍDEO)
    Novo tipo de explosões eletrônicas no Sol é descoberto pela Voyager da NASA
    Enquanto Japão analisa solo de Ryugu, NASA avisa que 5 asteroides passarão pela Terra nesta semana
    Dez vezes mais quente que Sol: China inaugura aparelho para obter energia de fusão nuclear (FOTOS)
    Tags:
    astrônomo, eclipse solar, eclipse, Sol, cometa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar