23:25 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 120
    Nos siga no

    Um morador da república russa de Buriátia, na Sibéria, encontrou por acidente um enterro coletivo neolítico de aproximadamente sete mil anos, enquanto trabalhava no jardim de sua casa.

    De acordo com a Academia de Ciências russa, citada pelo The Siberian Times, o morador estava cavando um poço em seu jardim quando encontrou os restos mortais de três pessoas.

    "Estava cavando um poço para estrume com meu filho, quando de repente surgiu um osso e uma articulação", detalhou o morador, que assegura ter descoberto ainda dois crânios de adultos e um de criança.

    Durante as escavações arqueológicas, os esqueletos dos adultos foram encontrados em posição fetal, enquanto o da criança estava entre eles, de barriga para cima.

    ​Homem encontra sepultura familiar mais antiga que as pirâmides do Egito enquanto trabalhava em um jardim. O túmulo neolítico de 7.000 anos, próximo do lago Baikal, pode pertencer a um dos assentamentos mais antigos do mundo.

    Um dos esqueletos adultos foi encontrado com uma espécie de tiara de pedra no crânio e pulseiras feitas com conchas em torno dos pulsos, explicaram Natalia Tsydenova e Prokopy Konovalov do Instituto Russo de Estudos da Mongólia, Budismo e Tibete.

    No momento, os especialistas realizam análises paleontropológicas para determinar a idade e o sexo dos esqueletos, bem como o período em que foram enterrados.

    No entanto, a posição em que foram encontrados e os objetos que estavam com eles permitiram aos especialistas datar a sepultura do período neolítico.

    Os especialistas estão realizando análises geofísicas nas zonas adjacentes, com a esperança de encontrar novos restos humanos.

    Mais:

    DNA de esqueletos de 8.000 anos revela 'linhagem fantasma' na antiga África
    Esqueleto sentado em sofá foi encontrado em casa abandonada na Indonésia (FOTO)
    Catacumbas com restos humanos são encontradas em jardim de casa na Rússia (FOTOS)
    Tags:
    esqueleto, Sibéria, arqueólogo, arqueólogos, descoberta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar