05:37 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    150
    Nos siga no

    Cientistas de Singapura criaram uma pele artificial capaz de sentir, e esperam que a inovação devolva às pessoas com extremidades artificiais a possibilidade de reconhecer objetos.

    Além disso, a equipe de cientistas espera que as pessoas sejam capazes de sentir texturas, temperatura e dor novamente, informa a Reuters.

    A pele eletrônica codificada assíncrona (ACES, na sigla em inglês) pode reconhecer de 20 a 30 texturas diferentes. Graças aos seus 100 sensores, a pele pode responder aos estímulos mais rápido que o sistema nervoso.

    Cientistas no laboratório, imagem referencial
    © Fotolia / Bogdanhoda
    Cientistas no laboratório, imagem referencial

    "Os humanos precisam deslizar para sentir a textura, porém neste caso a pele, com apenas um toque, pode detectar texturas de diferentes rugosidades", afirmou Benjamin Tee, diretor da equipe de estudo.

    Segundo Tee, o conceito é inspirado em uma cena da saga "Guerra nas Estrelas", quando Luke Skywalker perde uma mão, que é substituída por uma mecânica capaz de sentir.

    O produto está em fase experimental, porém já gerou um grande interesse na comunidade médica.

    Mais:

    Gravidade da Via Láctea 'dilacerou' aglomerado estelar há 2 bilhões de anos, revelam cientistas
    100 milhões de anos: cientistas 'acordam' bactérias da época dos dinossauros
    Cientistas russos descobrem quanto tempo coronavírus leva para morrer na água
    Tags:
    Guerra nas Estrelas, pele, estudos, estudo, estudo, cientistas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar