21:09 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)
    1234
    Nos siga no

    Segundo a pesquisa realizada por cientistas na Alemanha, os tratamentos impedem o avanço do coronavírus em macacos-verdes africanos, mas não em humanos.

    Nem a hidroxicloroquina, nem a cloroquina são eficazes em prevenir a propagação do novo coronavírus em um corpo humano, segundo afirma uma versão pré-impressão de um estudo na Alemanha publicado na quarta-feira (22) na revista científica Nature.

    Normalmente o SARS-CoV-2 entra no corpo de uma pessoa ligando sua proteína espigão ao receptor ACE2 das células humanas, ou então se absorvendo em alguns compartimentos especiais de células chamadas endossomas, refere o site The Conversation.

    "Dependendo do tipo de célula, [...] as células renais necessitam de uma enzima chamada catepsina L para que o vírus as infecte com sucesso. Nas células pulmonares, porém, é necessária uma enzima chamada TMPRSS2 (na superfície da célula). A catepsina L requer um ambiente ácido para funcionar e permitir que o vírus infecte a célula, o mesmo não sendo o caso com a TMPRSS2", de acordo com The Conversation.

    Ao contrário das células renais do macaco-verde africano (Chlorocebus sp.), em que ambos os medicamentos reduzem a acidez e desativam a enzima catepsina L, as células pulmonares dos humanos têm níveis muito baixos da enzima catepsina L. Como essa enzima não é controlada pela acidez, nem a hidroxicloroquina nem a cloroquina podem bloquear o vírus de infectar os pulmões ou impedir sua replicação.

    Assim, a hidroxicloroquina é eficaz em prevenir que o vírus se espalhe nas células renais do macaco-verde africano, mas é incapaz de o fazer nas células pulmonares humanas, o local de infeção principal do coronavírus, conclui a equipe de cientistas.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)

    Mais:

    Denunciado por genocídio, Bolsonaro escolheu ser 'garoto-propaganda' de remédio sem eficácia
    Teste positivo de Bolsonaro para COVID-19 faz web 'chover' memes sobre cloroquina
    Uso da hidroxicloroquina deve ser abandonado com 'urgência' no Brasil, dizem infectologistas
    OMS interrompe estudos com hidroxicloroquina e remédios para HIV em pacientes com COVID-19
    'Queridinha' de Trump e Bolsonaro, hidroxicloroquina não tem eficácia contra COVID-19, diz estudo
    Tags:
    Revista Nature, Nature, Alemanha, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar